A Via Varejo é responsável pelas redes de lojas Casas Bahia e Pontofrio. Foto: Divulgação.

A Via Varejo, responsável pelas redes de lojas Casas Bahia e Pontofrio, contratou a SSYS, parceria da SUSE no Brasil, para um projeto de gerenciamento e orquestração com SUSE Manager dos 20 mil terminais de venda da empresa espalhados por mais de 1 mil lojas no Brasil.

O trabalho começou há cerca de um ano e substituiu sistemas utilizados há 15 anos pela varejista. A companhia trabalhava anteriormente com PXE, padrão de boot remoto desenvolvido pela Intel.

“Essa estrutura legada apresentava lentidão para carregar os sistemas. Caso houvesse queda de energia em alguma loja, eram necessários entre 20 e 30 minutos para que os sistemas voltassem à operação”, relata Cleber Paiva de Souza, diretor da SSYS, que conversou com o Baguete durante a SUSEcon 2019.

Com a SSYS, foi feita uma prova de conceito para trocar o modelo legado usando a rede para a solução com discos locais nos terminais.

“Eles não poderiam perder a vantagem de aplicar mudanças de forma controlada ou evoluir a infraestrutura de acordo com a evolução da tecnologia, então a ideia foi levar modernização para que a empresa consiga trazer aplicações atuais para a nova estrutura. Antes, era muito difícil adicionar aplicações ao ambiente”, detalha Souza.

O processo de instalação do gerenciamento em novos terminais é feito a partir de um programa salvo em um drive USB, para poder realizar a ação mesmo em lojas que não contam com infraestrutura de internet.

Um dos recursos oferecidos pela SUSE que foi importante no projeto é o sistema de arquivos Btrfs.

“Para a Via Varejo, o sistema é uma garantia que, mesmo em caso de problemas, é possível reverter o ambiente para o cenário anterior. Durante a instalação, é gerado um snapshot, que é a foto da instalação. Se algum dia, no meio de um processo posterior, for feito alguma ação que comprometa a operação, é possível voltar ao início a partir da snapshot”, explica o diretor.

A SSYS também foi responsável por uma customização do SUSE Manager voltada para a equipe de nível inicial de suporte. A empresa criou uma ferramenta, batizada de Wise, que apresenta a esses profissionais apenas as partes do sistema necessárias para a manutenção básica.

“O SUSE Manager é muito poderoso, então nas mãos erradas pode permitir que um usuário sem conhecimento suficiente instale comandos sem autorização. Assim, a ideia foi criar uma ferramenta acessória focada apenas no suporte, entregando apenas o conjunto de recursos necessário para as ações do dia a dia dessa equipe”, completa Souza.

A SSYS, empresa de Campinas especializada em desenvolvimento de software, é a única parceira Solution da SUSE na América Latina. Globalmente, cerca de 20 empresas integram este nível, o mais alto dentro do programa de canais da empresa de software open-source.

* Júlia Merker viajou a Nashville para a SUSEcon 2019 a convite da SUSE.