PROTEÇÃO

Banco BV quer se proteger de deepfakes

08/04/2022 10:15

Técnica permite ludibriar sistemas de proteção biométrica.

Com os deepfakes, é difícil saber quem é quem. Foto: Pexels

Tamanho da fonte: -A+A

O Banco BV, marca do Banco Votorantim, anunciou dois desafios para buscar startups com soluções para prevenir ataques por deepfakes em parceria com o Distrito, plataforma de inovação aberta para grandes empresas.

O primeiro desafio da iniciativa busca mecanismos para a prevenção de acessos biométricos por meio de deepfakes, como são conhecidas as imagens e vídeos feitos por inteligência artificial que reproduzem aparência, expressões e voz de alguém do mundo real. 

A técnica se tornou conhecida em 2017, quando começaram a circular montagens muito realistas de atrizes famosas em cenas de sexo extraídas de filmes pornográficos.

Como já aconteceu em outras tecnologias, a aplicação inicial em pornografia foi disseminada para outras áreas, inclusive a criminalidade.

Um caso que correu o mundo aconteceu no início de 2020, quando um gerente de banco nos Emirados Árabes Unidos foi vítima de um golpe por hackers que usaram clonagem de voz para transferir US$ 35 milhões para contas bancárias ao redor do mundo. 

Além dos deepfakes, o BV também terá um desafio focado no combate das chamadas insider threats, como são conhecidas violações das regras de proteção de dados motivadas por fraudes internas, sabotagem e aliciamento.

A busca é por produtos ou serviços já lançados ou que estejam em fase de testes no mercado e com potencial de desenvolvimento.

As startups que se encaixem nos desafios devem se cadastrar até dia 24 de abril no site do Distrito. As soluções serão avaliadas pela área de inovação do BV, em conjunto com a área envolvida em cada desafio. 

As iniciativas selecionadas farão um “pitch” para a equipe do BV, que fará uma segunda avaliação técnica. Depois, as startups selecionadas terão um período para rodar uma prova prática de um conceito teórico da solução.

Fundado em 1991, o BV pertence ao Banco do Brasil e à família Ermírio de Moraes, atuando nos segmentos de crédito e financiamento para pessoas, corporate & investment banking, asset management e private bank. 

Veja também

EXPANSIÓN
Escotta compra empresa chilena

Parceira SAP entra no mercado do Chile por meio de aquisição.

OPEN BANKING
Franq adota soluções da Salesforce

Startup catarinense conecta bancários autônomos a instituições financeiras.

INOVAÇÃO
Anglo American controla CO2 com IndustryCare

Empresa desenvolveu uma plataforma para gerenciamento de ações da mineradora.

RUMOS
Testolini, ex-Sonda, assume Sigmais

Startup de Internet das Coisas do Espírito Santo é novo desafio para executivo.

CONTRATAÇÃO
Take Blip traz ex-Serasa para segurança

Capitalizada por aporte, startup de chatbots reforça o time com Paulo Kimura.

CANNABIS
GreenCare contrata ex-Ultra como CTO

Ricardo Mayer já passou por empresas como Heineken, Accenture e Hospital Albert Einstein.