Praça do Ferreira, no centro de Fortaleza. Foto: flickr.com/photos/55953988@N00

A GVT inaugura neste mês o seu primeiro call center no Nordeste.

São 2 mil metros quadrados localizados em Fortaleza, onde devem ser alocados mil profissionais em 2013, com previsão de dobrar o número no ano que vem. O investimento chega a R$ 12 milhões.

“Fortaleza reúne qualidade de vida, profissionais qualificados e que têm empatia natural no contato com as pessoas”, resume o diretor de Atendimento ao Cliente a GVT, Leandro Noronha.

O executivo da operadora não mencionou a maior atratividade de um salário de operador de call center na nova localização, que deve ter tido lá o seu peso na decisão de desconcentrar o atendimento do Sul, onde a empresa mantém 4.350 em Maringá e Curitiba.

A GVT não terceiriza seu atendimento, atuando exclusivamente com call centers formados por funcionários próprios. De acordo com nota da empresa, o pólo de Fortaleza deve concentrar as contratações nos próximos anos. Os salários e os benefícios são iguais em todas as locações.

Com o esgotamento da mão de obra em outras partes do país, o Nordeste tem despontado como um destino de investimento na área de contact center.

A AeC, empresa mineira de outsoucing de processo de negócios (BPO, na sigla em inglês), anunciou no começo do ano o investimento de R$ 30 milhões na instalação de dois centros em João Pessoa, na Paraíba.

Serão 1,3 mil empregados na capital paraibana, que se somarão aos 5 mil já trabalhando em Campina Grande, a segunda cidade mais importante do estado.