Cleber Prodanov.

Cleber Prodanov, atual pró-reitor de Inovação da Feevale, foi apontado pelo conselho de administração da associação responsável pela gestão da universidade gaúcha para assumir o cargo de reitor, a partir de 28 de junho para a gestão 2018-2021.

O novo reitor substituirá a professora Inajara Vargas Ramos, que responde desde abril de 2014 pela universidade sediada em Novo Hamburgo, cidade pólo econômico localizada na região metropolitana de Porto Alegre. 

No seu período à frente da pró-reitoria de Inovação, Prodanov focou as atenções no parque tecnológico da da Feevale. Uma das primeiras medidas foi assumir o controle total do então Parque Tecnológico do Vale do Sinos – Valetec, que passou a ser conhecido Feevale Techpark.

A mudança marcou a saída das prefeituras de Campo Bom e Novo Hamburgo e da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Campo Bom, Novo Hamburgo e Estância Velha.

Com mais controle, os planos passavam pela aproximação dos cursos da universidade com as duas operações do parque, com forte presença nos segmentos de saúde, biotecnologia, automação e economia criativa..

O Feevale Techpark gera mais de 4 mil empregos diretos e conta com 45 empresas instaladas. A pró-reitoria também liderou no ano passado a criação de um programa de inovação aberta para o parque.

Prodanov é um profissional de carreira da Feevale, onde entrou como professor ainda em 1995 e passou por uma série de cargos, incluindo a presidência do parque tecnológico Valetec. O professor também foi presidente do Fórum de Pró-Reitores do Rio Grande do Sul.

Entre 2011 e 2015, Prodanov foi titular da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Rio Grande do Sul durante o governo Tarso Genro (PT), regressando para a Feevale em 2015 depois do final do governo.

Prodanov fez uma boa gestão na SCIT, normalmente ocupada por políticos que recebiam a secretaria como prêmio de consolação e tratavam de sair o quanto antes.

O futuro reitor da Feevale ficou no cargo todos os 48 meses do governo Tarso superando em 10 meses o recordista anterior, Kalil Sehbe, nomeado pelo então governador Rigotto (PMDB).

Durante o seu período na SCTI, Prodanov liderou liberações recordes de recursos para empresas, universidades e centro de pesquisa no estado (é verdade que os tempos eram outros).

Com Prodanov na reitoria, a Feevale deve cacifar seus esforços em torno do parque tecnológico e da integração com empresas.

Fundada nos anos 70, a Feevale se tornou uma universidade em 2010. Em 2014, a instituição contava com 18,5 mil alunos em 53 cursos de graduação, cinco mestrados e dois doutorados.

Prodanov assume em um momento complicado para as instituições de ensino superior do Brasil, e, especialmente, do Rio Grande do Sul.

Segundo dados do Ministério da Educação de 2016, o número total de matrículas nos cursos presenciais em cursos superiores privados no Brasil caiu 3,5% no Rio Grande do Sul naquele ano, um ponto percentual acima da média  do país. 

Foi a primeira queda desde 1991 do número de matrículas e situação certamente não melhorou em 2017. Entre 2006 e 2015, o crescimento médio havia sido de 4%.

Recentemente, a UFRGS, universidade federal do estado, junto com a Unisinos e PUC-RS, as duas maiores universidades privadas com presença em Porto Alegre, anunciaram um acordo para buscar sinergias a nível de cursos e ações de desenvolvimento para Porto Alegre.

Pelo histórico de Prodanov, podemos esperar anúncios ousados em Novo Hamburgo também em um futuro próximo.