ECONOMIA

Perda de renda atinge 40% dos brasileiros

08/05/2020 15:11

CNI mapeou dados como o medo de perder o emprego e os hábitos de consumo na quarentena.

86% da população continua favorável ao isolamento social. Foto: Maria Ana Krack/PMPA.

Tamanho da fonte: -A+A

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou uma pesquisa na qual 40% dos brasileiros tiveram perdas na renda desde o início da pandemia.

Segundo Agência Brasil, 23% dos entrevistados perderam totalmente os ganhos e 17% tiveram redução no valor mensal de renda.

O levantamento, realizado pelo Instituto FSB Pesquisa, contou com 2.005 entrevistados com idade superior a 16 anos, de todas as unidades da federativas, entre os dias dois e quatro de maio. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Ainda de acordo com o estudo, 77% dos trabalhadores têm medo de perder o emprego. Para 48% das pessoas esse temor é grande, para 19% é médio e para 10%, pequeno.

De modo geral, nove em cada dez entrevistados consideram grandes os impactos da pandemia de coronavírus na economia brasileira.

Apesar das possíveis perdas econômicas, 86% da população continua favorável ao isolamento social.

A pesquisa também mostra que cerca de três em cada quatro brasileiros reduziram o consumo de pelo menos um dos 15 produtos testados. 

Apenas 23% dos entrevistados não reduziram em nada suas compras na comparação com o hábito anterior ao período da pandemia.

O consumo também deve ser impactado no futuro, uma vez que a maioria dos brasileiros afirmou que planeja manter no período pós-pandemia o nível de consumo adotado durante o isolamento.

Apenas 1% dos entrevistados respondeu que vai aumentar o consumo de todos os 15 itens testados pela pesquisa após a quarentena

Quase todos (93%) mudaram sua rotina durante o período de isolamento e, no cenário pós-pandemia, três em cada dez brasileiros falam em voltar a uma rotina igual à que tinham antes. 

Em relação ao retorno para o trabalho depois de terminado o isolamento social, 43% afirmaram que se sentem seguros, enquanto 39% se dizem mais ou menos seguros e 18%, inseguros.

Outro dado revelado pela pesquisa e considerado preocupante pela CNI é o endividamento, que atinge 53% da população. O percentual é a soma dos 38% que já estavam endividados antes da pandemia e os 15% que contraíram dívidas nos últimos 40 dias.

Entre aqueles que têm dívidas, 40% afirmam que já estão com o pagamento de alguma das parcelas atraso. A maioria deles (57%) passou a atrasar suas parcelas após o início do isolamento social.

Veja também

COVID-19
São Paulo prorroga quarentena até 31 de maio

Somente os serviços essenciais permanecem autorizados a funcionar no estado.

EXCLUSIVO
Hospital de campanha tem gestão com Philips Tasy

Digisystem instalou solução na unidade do Ibirapuera, terceira de São Paulo.

HOME OFFICE
Zenvia manda cadeiras do escritório para casa

Companhia montou uma operação em 29 cidades diferentes para melhorar o conforto do trabalho remoto.

RESULTADOS
Totvs fecha trimestre com alta de 6,7%

Companhia começa bem um ano que promete ser difícil na economia brasileira.

CIÊNCIA
LNCC libera acesso a supercomputador Santos Dumont

Recursos são disponibilizados gratuitamente para pesquisadores visando o combate à Covid-19.

FINANCIAMENTO
Crowdfunding: como criar uma campanha eficaz?

Saiba como pode criar uma campanha de crowdfunding eficaz, que lance seu negócio rumo ao sucesso.

ENCONTROS
SAP fará o SAP Now Brasil em formato digital

Evento físico previsto para setembro foi cancelado, reforçando uma tendência para 2020.

CORONAVÍRUS
Expointer e Mercopar mantém datas

Eventos de agronegócio e indústria são parte importante do calendário no Rio Grande do Sul.

SÃO PAULO
Hospitais de campanha têm conexão da TIM

Operadora cedeu banda larga nos pontos de atendimento localizados no Pacaembu e no Anhembi.

NEGÓCIOS
Como planejar em tempos de incerteza em 5 etapas fáceis

Veja o que os CFOs podem fazer para responder rapidamente às atuais mudanças.