Mauricio Kigiela, fundador e CEO da Smartbill RBM. Foto: Divulgação.

A Smartbill RBM, desenvolvedora de software para controle de contratos, cobrança e faturamento recorrentes, é mais uma empresa escolhida pela gestora SP Ventures para receber investimento do Fundo de Inovação Paulista, idealizado pela Agência de Desenvolvimento Paulista. 

O valor do investimento não foi divulgado, mas o fundo de Inovação Paulista costuma aportar em média R$ 5 milhões nas empresas.

Fundada em 2012 com suporte inicial da Astella Investimentos, que também participa desta segunda rodada de aporte de capital, a empresa desenvolveu uma solução de RBM para médias e grandes empresas.

A plataforma cloud da empresa integra um pacote de softwares para automação da operação financeira e cobrança inteligente, com emissão de NFe, envio de boletos, contas a receber, controle, atualização e renovação de contratos. 

“Este novo aporte nos ajudará a elevar a excelência dos nossos serviços, a desenvolver novos produtos e a continuar aprimorando nossas soluções. Atendemos empresas que atuam na economia da recorrência e ajudamos a resolver desafios que enfrentam para administrar os contratos e o billing nos ERPs”, diz Mauricio Kigiela, fundador e CEO da Smartbill RBM.

A solução agiliza a cobrança e faz a integração com meios de pagamento como PayPal, BCash e PagSeguro. 

“Investir em uma empresa como a Smartbill RBM sinaliza o compromisso da Desenvolve SP e do Governo de São Paulo com o incentivo da produção de tecnologia. Nosso objetivo é oferecer condições para que os nossos centros de pesquisa se tornem celeiros de empresas de alto valor agregado”, diz o presidente da Desenvolve SP, Milton Luiz de Melo Santos.

Entre os clientes da Smartbill RBM estão empresas como Estadão, TV Alphaville, Mega Telecom, Dualtec, VTEX, Geofusion e Site Blindado.

Em fevereiro, o Fundo de Inovação Paulista anunciou aporte na Concil, empresa especializada em inteligência de conciliação bancária e de cartão de crédito e débito.

O recurso aportado, em uma rodada de R$ 1 milhão complementar a de R$ 4 milhões realizada no ano passado pelo fundo DGF Inova, teve como objetivo apoiar a companhia em seu plano de negócios, que prevê alcançar 100 mil clientes nos próximos três anos.

Além da Desenvolve SP, o Fundo de Inovação Paulista tem como investidores o Sebrae-SP, FAPESP, FINEP e a Caixa Andina de Fomento (CAF). Seu objetivo é investir em pequenas e médias empresas e startups de base tecnológica.

Ao todo, entre 18 e 22 pequenas empresas com atuação em áreas como tecnologia da informação (TI), nanotecnologia, fotônica e ciências da vida, e com faturamento anual de até R$ 3,6 milhões, devem ser selecionadas pelo fundo para receber investimento.