Essa é a sua vida.

O MIT Media Lab colocou no ar no final de junho o Immersion, um web app através do qual usuários do Gmail podem criar gráficos com os metadados das suas contas de e-mail.

Para usar o Immersion, é preciso conceder autorização ao MIT para acessar a conta e coletar informações como os destinatários, CCs e horas de envio dos e-mails.

O experimento do MIT não acessa dados dos campos de assunto e do corpo do e-mail. Os usuários podem apagar seus dados do sistema a qualquer momento.

O app cresce em importância depois da revelação de que a Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos estava coletando metadados sobre as ligações telefônicas de milhões de americanos, além de cooperar com empresas como Google, Facebook e outras para coletar dados de acessos.

“O mundo está aprendendo sobre algo que um grupo mínimo de acadêmicos já sabia em 2004. Ninguém dava bola para nós e todos pensavam que trabalhar com metadados de ligações telefônicas e e-mails era algum tipo de curiosidade”, disse ao Boston Globe o professor do MIT  César Hidalgo.

A intenção dos pesquisadores do MIT, no entanto, não é conscientizar as pessoas sobre a quantidade que de informação sobre suas vidas que governos podem ter a partir de metadados, mas sim utilizar os gráficos como uma forma de insight sobre a própria vida.

“Quando você vê toda essa informação junta, é como uma experiência extra corporal. Você está vendo todo o seu network e vendo você mesmo e você está vendo isso de longe e tudo de uma vez”, explica Hidalgo.