Jeff Wood. Foto: Baguete.

Design, entretenimento, óleo e gás. Estes e outros setores estão na mira da HP para sua nova linha de PCs corporativos. A nova geração da família Z de workstations foi apresentada à imprensa, de olho em usuários de alta performance e em desbancar a Apple, queridinha dos heavy users.

Quem diz isso é Jeff Wood, VP de produtos da unidade de soluções corporativas, que aposta na nova linha para chamar a atenção dos usuários que resistem a plataformas Windows para rodar suas aplicações.

"Frente às plataformas Apple, muitos usuários de alta perfomance estão relutantes quanto ao Windows, mais do que até em relação ao hardware HP", dispara o executivo.

No plano global, a HP lidera o mercado de PCs corporativos, com 40% de share, segundo dados da consultoria JPR no segundo trimestre de 2014. A Dell vem atrás com 30%, seguida de Lenovo (14%). No geral, a Apple fica em meio a outras marcas que compõem 13% do share.

Entretanto, entre os equipamentos high-end, em setores que usam equipamentos mais poderosos (e caros), Wood reconhece que a Apple e seus Macs ainda guardam uma grande força, e é aí que a linha Z quer entrar.

Ao falar de alta performance, Wood se refere aos modelos Z640 e Z840, estações de alto processamento e poder escalável - o segundo modelo tem memória RAM expansível a até 2TB, algo raro para uma workstation.

Além dos desktops, a empresa lançou dois novos notebooks da linha Z, o ZBook G2 15" e o G2 17", com opções de processamento com Intel quad-core - também expansíveis, contando com slots extra para memória RAM e storage - e placas de vídeo NVIDIA Quadro e AMD FirePro.

"Vamos bater forte nesta tecla da escalabilidade de processamento, um ponto onde o equipamento da Apple deixa a desejar, e muitos usuários com alta carga de dados acabam esbarrando em gargalos ao lidarem com Macs", provoca Wood.

Ao falar de mercados onde o esforço para vender a linha Z será concentrado, Wood deu ênfase a setores como o de mídia de entretenimento, como produtoras de games e efeitos especiais, assim como usuários de aplicações 3D.

"Para impulsionar este posicionamento, firmamos parcerias de colaboração com empresas que são referência, os 'três A's': Adobe, Avid e Autodesk", disparou o VP.

A Adobe é a desenvolvedora de aplicações de vídeo como o Premiere e tratamento gráfico como o InDesign e Photoshop. A Autodesk é um dos nomes mais fortes quando se trata de softwares de CAD e animação. Por fim, a Avid é um forte nome na área de softwares de audiovisual, com produtos como Pinnacle Studio e Pro Tools.

Além disso, setores como o de Óleo & Gás, mineração e saúde também são interesses da fabricante, no qual Wood citou importantes prospectos no Brasil.

"Já temos contrato com a Petrobrás. É um companhia que compra equipamentos de altíssimo poder computacional e que deve investir em nossa família Z", avalia o executivo.

Além do 640 e 840, o lançamento feito no campus da HP em Fort Collins, Colorado, apresentou o Z440, desktop mais acessível, mais ainda assim escalável e com alta taxa de processamento.

Com specs acima da média de mercado, a linha chega ao mercado com preços a partir de US$ 1,4 mil. Segundo a HP, a nova família de Z workstations estará disponível no mercado latino, incluindo o Brasil, a partir de outubro.

*Leandro Souza viajou para Fort Collins a convite da HP.