Sady Jacques. Foto: Camila Cunha.

Sady Jacques, conhecido pela sua atuação na Associação Software Livre.Org, organizadora do Fórum de Software Livre, vai concorrer a vereador pelo PT em Porto Alegre nas próximas eleições municipais.

Como a corrida eleitoral ainda não começou oficialmente, Jacques é o que se chama de um pré-candidato, pendente de aprovação da convenção partidária e do Tribunal Eleitoral. 

Jacques é filiado ao PT há 30 anos, mas até agora nunca tinha se envolvido diretamente com política partidária, focando sua atuação em diferentes papéis dentro do ecossistema do software livre.

“A pelo menos três eleições me perguntam se não vou concorrer, em especial gente da área de CT&I, tanto colegas de profissão, quanto CIOs e figuras destacadas neste meio”, revela Jacques.

Na opinião de Jacques, “as lutas por bandeiras tecnológicas precisam ser travadas também no parlamento”, onde “não há ninguém que conheça o assunto CT&I com propriedade”. 

Jacques é funcionário da Procergs desde 1987 e neste ano assumiu a gestão do contrato de fábrica de software da estatal gaúcha de tecnologia.

Além da ASL.org, Jacques foi diretor do Sindppd-RS na década de 1990 e atuou na prefeitura de Porto Alegre na gestão de Tarso Genro (PT), entre 2001 e 2004 e assessor da presidência no Serpro entre 2008 e 2010, durante o governo Lula (PT).

Jacques também trabalhou em governos de outros matizes ideológicos, tendo sido diretor de TI e Telecom da Secretaria-Geral de Governo  e  presidente do Comitê de Governança de TIC do Estado entre 2011 e 2012, durante o governo Yeda Crusius (PSDB) e coordenador do Gabinete Digital do Prefeito de Porto Alegre em 2016, durante o mandato de José Fortunati (PDT).

Em função da pandemia, o primeiro turno da eleição deve acontecer no dia 15 de novembro e o segundo no dia 29.

O PT apoiará a ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB), que desponta como um dos favoritos, junto com o atual prefeito Nelson Marchezan (PSDB). 

O destino de Marchezan ainda é incerto e depende do andamento de um processo de impeachment. 

O setor de TI já teve um representante na Câmara Municipal de Vereadores por dois mandatos entre 2004 e 2012.

Newton Braga Rosa, professor da UFRGS e figura conhecida no meio de empreendedorismo tecnológico gaúcho, chegou a fazer 4,2 mil votos concorrendo pelo PP.