Baguete
InícioNotícias> Ascenty expande operações no RJ

Tamanho da fonte:-A+A

DATA CENTER

Ascenty expande operações no RJ

Júlia Merker
// segunda, 08/10/2018 13:54

A Ascenty, empresa de data center com foco na América Latina, anuncia a expansão de seu data center no Rio de Janeiro, que após sua conclusão, irá operar com 100% de sua capacidade. O projeto de construção estará concluído no 2º semestre de 2019 e terá investimento de R$ 100 milhões.

A Ascenty vai expandir seu data center no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação.

O data center do Rio de Janeiro é um carrier neutral, podendo ser abordado por diferentes operadoras. 

"Como parte dos nossos planos de expansão, o mercado do Rio de Janeiro é extremamente estratégico, pois grandes companhias atuam na região e algumas já são nossas parceiras em outros data centers da empresa. Assim que concluirmos a expansão dessa unidade, iremos operar com a capacidade total", afirma Roberto Rio Branco, diretor de marketing e institucional da Ascenty.

O data center do Rio de Janeiro possui potência total de energia de 15 MVA. A Ascenty também conta com uma rede de fibra óptica própria de aproximadamente 150 km no Rio de Janeiro.

Em setembro, a Ascenty foi vendida para a Digital Realty, um grande player de data center e conectividade com atuação concentrada nos Estados Unidos. O grupo pagou ao fundo de investimento Great Hill US$ 1,8 bilhão para levar a brasileira, dona de oito data centers no país.

O negócio também envolve uma outra transação, pela qual a Digital Realty fechou um acordo com a Brookfield, uma gestora de ativos com negócios em rodovias, ferrovias e energia no Brasil, para que ela financie US$ 613 milhões do negócio em troca de 49% das ações na joint venture que será dona da Ascenty.

Fundada em 2010, Ascenty é dona de uma uma rede de fibra óptica proprietária de aproximadamente 4,5 mil km conectando os principais centros brasileiros de tecnologia, finanças e população de São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro e Fortaleza, onde está conectada com cabos submarinos que chegam ao país.

Júlia Merker