AGULHAS

IBM: vacina é obrigatória nos EUA

08/10/2021 04:25

Funcionários devem se vacinar até dezembro ou entrar em licença não remunerada.

Talvez o que os Estados Unidos precisam seja um garoto propaganda carismático. Foto: Walterson Rosa/MS.

Tamanho da fonte: -A+A

A IBM decidiu que todos os seus funcionários nos Estados Unidos devem estar completamente vacinados até o dia 8 de dezembro, ou entrar em licença não remunerada.

A medida vale para todos os funcionários no país, estejam eles em home office ou trabalhando presencialmente.

A empresa não chegou a esclarecer o quão longa seria a licença não remunerada antes de uma eventual demissão. Existe a possibilidade de pedir uma isenção da medida por motivos médicos ou religiosos.

A IBM está seguindo a deixa do presidente Joe Biden, que assinou um decreto no último mês exigindo que prestadores de serviços do governo sejam vacinados, e vêm exercendo pressão pública para que o setor privado tome medidas para aumentar o número de imunizados no país.

“Exceções vão ser concedidas em circunstâncias limitadas. De acordo com as regulamentações do governo, testagem frequente ou a recuperação de uma infeção não serão aceitas no lugar da vacina”, disse um porta-voz da IBM ao site britânico The Register.

No momento, 56% da população americana está imunizada contra o coronavírus, o que é um indicador ruim, tendo em conta que o país começou a vacinação em fevereiro e tem vacinas disponíveis em abundância. 

A título de comparação, o Brasil, com os problemas que são de conhecimento geral, tem 45% da população totalmente imunizada.

É difícil dizer quantas pessoas vão ser impactadas pela decisão da IBM. A empresa deixou de publicar dados abertos sobre a sua presença por países em 2010.

A decisão pode ter que ver com o fato do número de funcionários nos Estados Unidos ter sido superado naquela época pelos da Índia, o que é ruim para as relações públicas da empresa.

De qualquer forma, a IBM tinha ao redor de 105 mil funcionários nos Estados Unidos em 2010, quando a contagem mundial chegava a 426 mil. Hoje, depois de cortes de equipes, spin offs e outras operações, o número no mundo chega a 345 mil.

Veja também

PANDEMIA
Empresas pedalam volta ao escritório

Metade dos ouvidos em um estudo da KPMG deixou retorno para 2022.

CRÉDITO
Fundacred cria plataforma de vestibular digital

Desenvolvida pela Brivia, a solução é gratuita para as conveniadas da fundação.

COVID
Microsoft desiste de data para voltar

Depois de três adiamentos do retorno aos escritórios, gigante não faz mais previsões.

SAÚDE
Procat agiliza vacinação com uMov.me

A empresa de imunização corporativa adotou aplicativo na gestão da campanha contra a gripe.

PRÓXIMOS ANOS
Os desafios do data center no mundo pós-pandemia

Capacidade de adaptação ao novo contexto e redes bem equilibradas serão a chave para evolução.

NOVO NORMAL, DE NOVO
Dez dicas para a rotina de trabalho híbrida

Vacinação avança, permitindo um retorno aos escritórios. Como organizar isso?