Roberto Matsubayashi. Foto: divulgação/GS1.

A GS1 Brasil, entidade de apoio a tecnologias de automação no país, comemora seus trinta anos no país nesta sexta-feira, 08, e para acompanhar a data anunciou mudanças para 2014. Uma delas é a mudança para uma nova sede em São Paulo, que contará com um Centro de Inovação e Tecnologia.

Atualmente sediada em um andar de um prédio comercial no Itaim, em São Paulo, a entidade quer um espaço dedicado para o atendimento de seus associados, e principalmente, instrumentos para mostrar as tecnologias de automação dentro do funcionamento da própria sede.

Segundo Roberto Roberto Matsubayashi, diretor de inovação e alianças estratégicas da GS1, a mudança para um prédio próprio e a criação do CIT servirá a este propósito.

O novo espaço, com cerca de 350 metros quadrados, servirá como um ambiente de demonstrações e simulações de usos dos padrões da GS1 em diferentes pontos da cadeia de suprimentos.

Aberto para sócios da entidade, assim como para empresas e o público em geral, o centro fará simulações em diferentes cenários, de acordo com as necessidades das empresas interessadas em conhecer as tecnologias.

"Estes padrões de automação podem atender a demandas para maior eficiência logística, ou para garantir mais autenticidade na produção", explica Matsubayashi.

De acordo com o diretor, ainda está em avaliação a abertura do espaço para a condução de testes envolvendo tecnologias de automação. No entanto ele garante, que ele receberá tecnologias de ponta, com scanners e equipamentos de última geração.

"Embora no início ele seja um pouco limitado para apresentações e simulações, nossa intenção é que o centro tenha funcionalidades e recursos mais avançados. Não é apenas um showroom", destaca o executivo.

Para montar este espaço de inovação, a entidade recebeu o apoio de cerca de dez empresas associadas, que poderão usar o local para fazer apresentações de suas tecnologias para clientes.

"Ainda estamos definindo isto junto aos parceiros, mas estamos abertos para este tipo de utilização do centro", completa Matsubayashi.

Para o diretor, criar um ambiente como o do CIT é um passo importante para mostrar às empresas que ainda não investiram em soluções de automação como elas podem ser importantes, caso todos os elos da cadeia de produção se padronizem.

Matsubayashi admite que muito já foi evoluído desde 1983, ano em que foi criada a Associação Brasileira de Automação Comercial, semente da qual surgiu a GS1 em 2005. No entanto, é possível evoluir mais.

"Embora muitas empresas já estejam adiantadas no uso destas soluções, elas funcionam de forma limitada, otimizando processos internamente ou apenas alguns estágios da cadeia. Nosso objetivo é que todos os elos de produção se conscientizem dos benefícios e passem a usar estes padrões, ganhando tempo e dinamizando processos", afirma.

Atualmente, a GS1 conta com 57 mil empresas associadas, que atuam em cerca de 22 setores, desde indústria, varejo, passando por saúde e setores públicos. Em suas ações, cerca de 15 mil pessoas são treinadas atualmente no uso de tecnologias de automação.