Isadora Kalil.

Isadora Kalil, ex-superintendente de Planejamento Financeiro da GetNet, acaba de assumir como CFO da Zenvia, empresa de serviços móveis sediada em Porto Alegre.

A executiva passou um período na GetNet (apenas três meses) vida da Neogrid, onde era gerente administrativa e financeira.

Isadora começou a carreira na Eleva Alimentos e tem também passagens pela Perdigão e Grupo RBS.

A profissional é é formada em ciências econômicas pela PUCRS, com MBA em Finanças pela UFRGS/PPGA e pós-graduação em Controladoria de Gestão pela UFRGS.

A contratação da CFO foi anunciada pouco menos de um mês depois da companhia receber um aporte de R$ 71 milhões da BNDESPAR e DLM Brasil TI para acelerar sua estratégia de consolidação no mercado de mobilidade e abertura de filiais em outros países da América Latina. 

Victor Knewitz eCássio Bobsin fundaram a Human Mobile em 2003. Em 2011, a empresa adquiriu a concorrente Comunika, tornando-se líder em SMS corporativo no Brasil e mudou seu nome para Zenvia. 

Em 2012 adquiriu a Purebros, líder em soluções de carrier billing no país, e em 2013 incorporou a startup Zynk, focada em distribuição de conteúdos para smartphones, divulgando um investimento de R$ 5 milhões na empresa..

Quando da aquisição da Pure Bros, divulgado como o “maior do segmento no país”, a Zenvia divulgou que esperava um faturamento de total de R$ 100 milhões em 2012, com meta de triplicar em três anos.

Na divulgação do aporte, não foram feitas menções a valores, apenas uma cifra de crescimento de  95% ao ano entre 2007 e 2013.

A projeção de futuro da empresa, no entanto, deu uma pista de que a companhia, nascida no universo do SMS e líder na área, está mudando de foco, ou pelo menos, diversificando sua oferta.

“A companhia aposta no crescimento da base de smartphones ao concentrar seus esforços em soluções cloud de comunicação e marketing móvel e na oferta de apps de serviço e conteúdos para o consumidor”, diz a nota.

Um desafio pode ser a entrada de executivos de mercado na operação, uma exigência que costuma ser feita por investidores.

A Zenvia já fez uma experiência mal sucedida nesse sentido, ao contratar para a posição de CEO Vander Guerrero, um profissional com 10 anos de Spring Wireless, com o objetivo de profissionalizar a gestão da nova empresa e introduzir novos métodos de acompanhamento de resultados.

Guerrero, que desde abril é VP de Vendas no Brasil da multinacional americana de marketing digital  Velti, ficou pouco menos de um ano no comando, que foi reassumido por março de 2013 por Bobsin.

O DLM Brasil IT é um fundo de R$ 250 milhões gerido pelos ex-Datasul Paulo Caputo e Jorge Steffens. 

O alvo do fundo são empresas de tecnologia corporativa com faturamento entre R$ 15 milhões e R$ 150 milhões anuais.

Até agora, o DLM já investiu na Opentech, empresa de software as a service para gestão logística em transporte e gerenciamento de risco; na Interplayers, especializada na área de saúde; na Clic Holding Company, empresa do segmento de tecnologia para viagens de negócios e lazer formada pelas paulistas Argo IT e Connect-c mais a gaúcha Travel Explorer.