Levy quer cortes fundos no Serpro. Foto: Agência Brasil.

Tamanho da fonte: -A+A

O Serpro, estatal federal de processamento de dados ligada ao Ministério da Fazenda, pode sofrer um enxugamento violento em 2016.

Pelo menos, é o que garante o portal brasiliense Convergência Digital, que afirma ter apurado que o ministro da Fazenda,  Joaquim Levy, pediu à direção da empresa um estudo a ser entregue até 25 de janeiro de 2016 com medidas de cortes de gastos.

Ainda de acordo com o Convergência, a Fazenda espera fechar de oito das 12 regionais e escritórios nos estados, ao mesmo tempo em que corta 50% das superintendências e gerências sejam extintas, assim como as gratificações variáveis dos empregados.

Outras medidas incluiriam ainda a não realização de promoções e cortes de horas extra.

As medidas surgem dias depois do Convergência publicar um estudo feito pelo Departamento de Coordenação das Empresas Estatais (DEST), no qual se aponta o crescimento das despesas com pessoal no Serpro, que já correspondem a 72% da receita operacional.

O levantamento é um estudo sobre a possibilidade de uma fusão de estatais de TI no governo, encabeçada pela Telebras, junto com Serpro e Dataprev. A ideia seria financiar a nova companhia com uma abertura de capital na Bovespa.