Rodrigo Parreira.

A PromonLogicalis passará a atuar no Brasil usando somente a marca Logicalis a partir de 1º de março de 2017.

Com a mudança, a multinacional britânica encerra a digestão da Promon Tecnologia, na qual comprou uma participação de 70% por US$ 77 milhões ainda em 2008.

A mudança aconteceu um pouco mais tarde do que esse tipo de alterações costuma acontecer. A chilena Sonda, que adquiriu a Procwork no mesmo ano por uma quantia similar, anunciou a integração de marcas ainda em 2012.

Em nota, a PromonLogicalis destacou que troca de nome não altera a composição acionária, da empresa atualmente composta por uma participação de 65% do Logicalis Group e 35% do Grupo Promon.

“Chegou a hora de buscarmos uma maior consistência em termos de marca, especialmente considerando nossa base de clientes, dentre os quais 500 empresas multinacionais que atendemos simultaneamente em vários países na América Latina”, explica Rodrigo Parreira, CEO da Logicalis Latin America.

O desafio é trazer para o Brasil os altos índices de crescimento que a Logicalis viu em países como Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México, Paraguai, Peru e Uruguai no seu último balanço. 

 A PromonLogicalis fechou o seu ano fiscal 2016, encerrado em fevereiro, com um faturamento de R$ 914 milhões, uma queda de 8,6% frente aos resultados do ano anterior. 

Em nível latino americano, as notícias foram bem melhores, com um resultado quase três vezes maior, avançando de US$ 556 milhões para US$ 1,45 bilhão.

Na América Latina são 1,5 mil profissionais, sendo mil no Brasil. Ao todo existem cerca de 800 clientes na região. A operação latino americana é responsável por 47% do EBITDA e por 27% da receita total do grupo Logicalis.