Marcelo Villa Nova. Foto: divulgação.

A Paradigma Business Solutions, catarinense especializada em plataformas de negociações eletrônicas, implantou sua solução WBC Energy na Celesc, geradora e distribuidora de energia para mais de dois milhões de clientes em Santa Catarina.

A plataforma atua na gestão do portfólio de contratos de energia, leilões, gestão de riscos, medição e certificação digital de contratos da concessionária, integrando todos os dados e processos de compra e venda, evolução de mercado e contabilização de energia.

A implantação está em fase conslusiva e a ferramenta entra em uso dentro de 30 dias, com integração ao ERP SAP em 11 meses.

Também faz parte do projeto a integração com o sistema de medição de energia da catarinense Way2.

“Com a integração dos processos, conseguiremos aumentar a confiabilidade das informações e o tempo disponível para que os colaboradores possam fazer análises e maximizar os resultados”, afirma Ivone Castellar, gerente de Comercialização de Energia da Celesc.

O diretor para Energia e Mercado Financeiro da Paradigma, Marcelo Villa Nova, explica que o WBC eleva o nível de previsibilidade, em uma visão integrada de medição, riscos financeiros e energéticos.

“Isso garante maior tempo para análise de variáveis e definição das estratégias de mercado”, avalia o executivo.

Já Ivone lembra, ainda, que a plataforma traz expectativa de ganhos com sustentabilidade, já que usa tecnologia de documentos e assinatura digital da empresa parceira no projeto BRY Tecnologia.

ECONOMIA BEM VINDA
Isso reduz a emissão de papéis e a demanda por deslocamentos para emissão e assinatura de contratos.

Traduzindo, economia – um item que vem a calhar para a Celesc Distribuição, que em setembro de 2012 anunciou um plano de demissão voluntária (PDV) pelo qual estima poupar R$ 579 milhões brutos, podendo alcançar o montante anual de R$ 159,2 milhões até o término do plano, previsto para meados de 2018.

GRANDE
Nos planos, a Paradigma entra como fornecedora de uma plataforma que já atende aos mega-leilões do segmento de energia elétrica do mercado regulado e livre do país, somando cerca de R$ 800 bilhões negociados em dez anos.

Além disso, a WBC suporta a gestão de mais de 50% dos contratos de energia vigentes no Brasil, sendo usada por clientes como CCEE, CPFL, CEB, Tractbel, Bandeirantes Energia, Vale e Petrobrás, entre outros.

A plataforma não é o único negócio da empresa de Florianópolis com unidade em São Paulo.

A companhia também oferece, desde 2011, um serviço de collaborative sourcing por meio do portal ClicBusiness, que reúne dezenas de sites de procurement associados e dá acesso a um banco de cerca de 100 mil fornecedores.

O ClicBusiness recebeu, no fim do ano passado, um aporte de R$ 1,8 milhão do Fundo SC, que tem como principais investidores a Finep, Celos – Fundo de Previdência da Eletrosul, SCPar, Weg Participações e Intelbrás.

O fundo é co-gerido por uma parceria entre a gestora catarinense BZPlan e a mineira FIR Capital, e o aporte deu início às operações independentes da ClicBusiness Software, que proverá soluções de negócios atendidos exclusivamente pela internet, no modelo SaaS.

Em um ano e meio de existência como spin off da Paradigma, a companhia formou uma comunidade de fornecedores e portais associados que, juntos, movimentam mais R$ 8 bilhões em mais de 150 mil processos de compra, segundo a presidente da Conselho da ClicBusiness e CEO da Paradigma, Andréa Boudeville.