Camila Yu Mateus.

Camila Yu Mateus, ex-diretora de marketing no Brasil da Volvo, acaba de ser contratada como diretora de Branding da Omie, companhia brasileira de software de gestão na nuvem.

Mateus estava na Volvo desde 2014 e também liderava as iniciativas de diversidade na empresa em nível latino americano.

Antes, passou por cargos de gerência em estratégia de marca e marketing digital em empresas como Alphaville Urbanismo e BRF. A executiva começou a carreira em 2002, como trainee na Intel.

Em nota, a Omie destaca que a profissional deve liderar o projeto de rebranding da marca, “reforçando a missão da Omie em se tornar a maior e mais disruptiva ERP do Brasil”. 

“Minha missão é colaborar com uma nova etapa da história da empresa, com o reposicionamento de uma marca disruptiva, que desde sua fundação está baseada em inovações para atender e transformar o cenário do empreendedorismo no Brasil”, agrega Mateus.

Em abril de 2020, a Omie anunciou uma mudança de curso, visando ampliar o escopo, até então focado em pequenas empresas, e ser competitiva também em clientes maiores, com faturamento entre R$ 10 milhões e R$ 200 milhões ao ano. 

A nova diretora de Branding, com sua experiência de Volvo, talvez seja a pessoa certa para a tarefa de tornar a Omie uma marca mais convincente nesse novo segmento, no qual a empresa quer competir com Totvs e SAP.

As empresas de tecnologia normalmente optam por contratar profissionais com background na área pelas suas áreas de marketing.

Mas isso está mudando, na medida em que o segmento se torna menos "misterioso" e mais próximo do grande público.

Em dezembro de 2020, por exemplo, a Unico, antiga Acesso Digital, contratou Sílvia Andrade, ex-diretora de marketing na Johnson & Johnson, uma empresa consumer por excelência, para assumir o cargo de diretora de produto da empresa, com a função de liderar novos lançamentos da companhia.

Lançada por Marcelo Lombardo, fundador da NewAge Software, uma empresa de software de gestão vendida para a Toutatis Global em 2013, a Omie se tornou um dos destaques na nova leva de companhias de ERP na nuvem, junto com a concorrente ContaAzul.

Ainda em 2019, a Omie levantou R$ 80 milhões do fundo americano Riverwood Capital, que já investiu em empresas como 99, Mandic e VTex. Em setembro de 2018, outros R$ 25 milhões vieram do fundo Astella.

Em abril, em meio aos dias mais confusos da pandemia do coronavírus, a Omie anunciou a sua grande "pivotagem", junto com a demissão de 134 funcionários, cerca de um terço do total.