Felipe dos Santos, CEO e fundador da Play2Sell. Foto: divulgação.

A Play2Sell, startup voltada para a gamificação de treinamentos em vendas, levantou R$ 2 milhões em investimentos através da plataforma de crowdfunding CapTable, com participação do grupo Poli Angels, que ofereceu um aporte de R$ 300 mil.

Fundada em 2018, a empresa foi idealizada pelo brasileiro Felipe dos Santos em São Francisco, nos Estados Unidos, ao se graduar no programa de aceleração do Founder Institute.

A Play2Sell desenvolveu, então, um aplicativo para celular com jogos voltados para o treinamento de vendedores. Hoje a plataforma já conta com mais de 5 mil usuários ativos, a grande maioria oriunda do mercado imobiliário. 

Entre os seus clientes, estão empresas como MRV, Lopes, Remax, Direcional, Eztec e Helbor.

Em três anos de atuação, a startup aumentou o seu faturamento em 922% e alcançou um valuation de R$ 13 milhões. Para 2024, a projeção é de que a companhia consiga atingir um faturamento bruto de R$ 20 milhões. 

Anteriormente, a Play2Sell já havia captado duas rodadas de investimentos. 

A primeira foi em março de 2018, logo no início da operação, com R$ 200 mil vindos de 11 investidores-anjos. Um ano depois, a companhia levantou mais de R$ 650 mil junto à Bossa Nova Investimentos e outros grupos. 

No final de 2020, a Play2Sell decidiu abrir um novo round, desta vez através de crowdfunding, para abrir a possibilidade dos clientes e entusiastas também se tornarem sócios da startup. 

“Isso teve um peso muito grande. Com a captação, conseguimos adicionar mais de 500 investidores ao negócio. Muitos também são executivos da área comercial e, com certeza, vão nos ajudar bastante com ideias e até mesmo com indicações de futuros parceiros”, conta Felipe dos Santos, CEO e fundador da Play2Sell.

De acordo com a empresa, a nova rodada tem como objetivo principal a expansão da operação de suas soluções em diversos segmentos econômicos, além do aperfeiçoamento do game e de seu algoritmo.

“Queremos ampliar nossa presença no mercado, atingindo principalmente o varejo e as indústrias automotiva, farmacêutica e manufatureira. São setores que também demandam maior qualificação e conhecimento dos vendedores, uma vez que atendem clientes mais exigentes e bem informados”, destaca Santos. 

Com o aporte, a empresa também pretende dobrar o número de colaboradores, que hoje são 14, até o final do ano. A maior parte das contratações será direcionada para a área de produto e desenvolvimento, além de um reforço no time de marketing.

A ideia é destinar 45% do valor para o produto, 30% para o setor de marketing e vendas e 25% para recursos humanos.

Segundo a Poli Angels, um representante da associação vai trabalhar ao lado da Play2Sell para compartilhar o seu conhecimento e experiência.

"A Play2Sell passou pelo funil de curadoria da Poli Angels e, logo que soubemos que havia uma negociação com a CapTable, buscamos uma parceria. A composição de investidores anjos com crowdfunding é um modelo novo no Brasil, que acreditamos que tem muita complementaridade”, conta Cláudio Cohen, investidor anjo da Poli Angels.

A Poli Angels é uma associação com 142 investidores-anjo fundada há dois anos por ex-alunos da Escola Politécnica da USP. Desde então, foram realizadas 14 rodadas de investimentos e 12 aportes, com participação média de 5% nas investidas.

O grupo investe majoritariamente em startups early-stage, que recebem mentoria e networking dos investidores para escalar o seu crescimento. Em seu portfólio, estão empresas como Idgeo, Sourcelevel, Worc, Bynd, Agriconnected e On The Go.

Já a gaúcha CapTable foi fundada em 2019 e tem como sócia a Startse, companhia de destaque na cena de startups do país que já tinha uma base de 9 mil empresas cadastradas. Desde a sua criação, mais de 2,5 mil investidores utilizaram a plataforma para aportar mais de R$ 15 milhões.

Apenas em 2020, foram R$ 11 milhões em investimentos para 11 startups. Até o final deste ano, o plano da empresa é captar R$ 100 milhões para 40 companhias.