CROWDFUNDING

Play2Sell levanta R$ 2 milhões via CapTable

09/02/2021 11:20

Rodada contou com a participação da Poli Angels, que investiu 15% do total captado na plataforma.

Felipe dos Santos, CEO e fundador da Play2Sell. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Play2Sell, startup voltada para a gamificação de treinamentos em vendas, levantou R$ 2 milhões em investimentos através da plataforma de crowdfunding CapTable, com participação do grupo Poli Angels, que ofereceu um aporte de R$ 300 mil.

Fundada em 2018, a empresa foi idealizada pelo brasileiro Felipe dos Santos em São Francisco, nos Estados Unidos, ao se graduar no programa de aceleração do Founder Institute.

A Play2Sell desenvolveu, então, um aplicativo para celular com jogos voltados para o treinamento de vendedores. Hoje a plataforma já conta com mais de 5 mil usuários ativos, a grande maioria oriunda do mercado imobiliário. 

Entre os seus clientes, estão empresas como MRV, Lopes, Remax, Direcional, Eztec e Helbor.

Em três anos de atuação, a startup aumentou o seu faturamento em 922% e alcançou um valuation de R$ 13 milhões. Para 2024, a projeção é de que a companhia consiga atingir um faturamento bruto de R$ 20 milhões. 

Anteriormente, a Play2Sell já havia captado duas rodadas de investimentos. 

A primeira foi em março de 2018, logo no início da operação, com R$ 200 mil vindos de 11 investidores-anjos. Um ano depois, a companhia levantou mais de R$ 650 mil junto à Bossa Nova Investimentos e outros grupos. 

No final de 2020, a Play2Sell decidiu abrir um novo round, desta vez através de crowdfunding, para abrir a possibilidade dos clientes e entusiastas também se tornarem sócios da startup. 

“Isso teve um peso muito grande. Com a captação, conseguimos adicionar mais de 500 investidores ao negócio. Muitos também são executivos da área comercial e, com certeza, vão nos ajudar bastante com ideias e até mesmo com indicações de futuros parceiros”, conta Felipe dos Santos, CEO e fundador da Play2Sell.

De acordo com a empresa, a nova rodada tem como objetivo principal a expansão da operação de suas soluções em diversos segmentos econômicos, além do aperfeiçoamento do game e de seu algoritmo.

“Queremos ampliar nossa presença no mercado, atingindo principalmente o varejo e as indústrias automotiva, farmacêutica e manufatureira. São setores que também demandam maior qualificação e conhecimento dos vendedores, uma vez que atendem clientes mais exigentes e bem informados”, destaca Santos. 

Com o aporte, a empresa também pretende dobrar o número de colaboradores, que hoje são 14, até o final do ano. A maior parte das contratações será direcionada para a área de produto e desenvolvimento, além de um reforço no time de marketing.

A ideia é destinar 45% do valor para o produto, 30% para o setor de marketing e vendas e 25% para recursos humanos.

Segundo a Poli Angels, um representante da associação vai trabalhar ao lado da Play2Sell para compartilhar o seu conhecimento e experiência.

"A Play2Sell passou pelo funil de curadoria da Poli Angels e, logo que soubemos que havia uma negociação com a CapTable, buscamos uma parceria. A composição de investidores anjos com crowdfunding é um modelo novo no Brasil, que acreditamos que tem muita complementaridade”, conta Cláudio Cohen, investidor anjo da Poli Angels.

A Poli Angels é uma associação com 142 investidores-anjo fundada há dois anos por ex-alunos da Escola Politécnica da USP. Desde então, foram realizadas 14 rodadas de investimentos e 12 aportes, com participação média de 5% nas investidas.

O grupo investe majoritariamente em startups early-stage, que recebem mentoria e networking dos investidores para escalar o seu crescimento. Em seu portfólio, estão empresas como Idgeo, Sourcelevel, Worc, Bynd, Agriconnected e On The Go.

Já a gaúcha CapTable foi fundada em 2019 e tem como sócia a Startse, companhia de destaque na cena de startups do país que já tinha uma base de 9 mil empresas cadastradas. Desde a sua criação, mais de 2,5 mil investidores utilizaram a plataforma para aportar mais de R$ 15 milhões.

Apenas em 2020, foram R$ 11 milhões em investimentos para 11 startups. Até o final deste ano, o plano da empresa é captar R$ 100 milhões para 40 companhias.

Veja também

TRANSPORTE
Randon investe R$ 13 milhões no Grupo Delta

Braço de venture capital da gigante industrial aposta em tecnologia para transportes.

INOVAÇÃO
Banrisul procura startups em todo o Brasil

As inscrições para o programa de aceleração do banco estão abertas até o dia 13 de fevereiro.

PESQUISAS
MindMiners recebe aporte de R$ 6 milhões

Rodada foi liderada pela KPTL com participação da Darwin Startups e mais investidores.

APORTE
Rocket.Chat levanta R$ 100 milhões

Rodada foi liderada pelo fundo Valor Capital. Startup pretende investir na expansão global.

CONSTRUÇÃO
Juntos Somos Mais investe na Conecta Reforma

A empresa da Votorantim Cimentos, Gerdau e Tigre comprou uma participação minoritária na startup.

RUMOS
Prosegur procura startups de criptomoedas

Gigante de carros fortes quer oferecer segurança também no meio digital.

DÓLARES
Criador do iFood lança fintech nos Estados Unidos

Nomad permite que brasileiros abram conta bancária gratuita no país com garantia de US$ 250 mil.

GOVTECH
Aprova Digital recebe aporte de R$ 4 milhões

Rodada seed foi realizada pela Astella Investimentos, que vai integrar o conselho da startup.

GIGANTE
Nubank é avaliado em US$ 25 bilhões

Após compra da Easynvest, o banco digital levantou R$ 400 milhões em rodada pré-IPO.

FINTECHS
Ebanx compra 30% do Banco Topázio

O acordo foi fechado no início deste ano e aguarda a aprovação do Banco Central e do Cade.