SAP já tem acordos com AWS, Microsoft e Google.

Google e SAP anunciaram nesta quarta-feira, 08, um acordo pelo meio do qual o banco de dados em memória SAP Hana poderá ser entregue na plataforma de nuvem do Google.

É um acordo importante para o Google, que abre uma porta para a sua nuvem no meio dos grandes clientes da SAP, que já tinha acordos similares assinados desde 2014 com a AWS e Microsoft, hoje na frente do buscador no mercado de infraestrutura como serviço.

Um aspecto chamativo do acordo é a que a SAP segue sendo a responsável pelos dados, independente do fato de eles estarem rodando no Google, o que em tese remove uma barreira de entrada.

Para a SAP a parceria também é estratégica. A nova geração de software de gestão da multinacional, batizada de S/4, só roda no banco de dados em memória Hana. 

Isso significa que a empresa precisa distribuir essa tecnologia em diversas plataformas para vencer a resistência dos clientes finais. A SAP tem sua própria infra de nuvem, mas não tem como competir nesse campo com AWS, Microsoft e Google.

Complica a situação da SAP o fato de muitos deles rodarem seus ERPs em bancos de dados da Oracle, uma concorrente da SAP em sistemas que não vai embarcar no Hana.

O acordo com o Google também prevê integrações com a suíte de colaboração G Suite (no ano passado, um acordo similar foi fechado com a Microsoft para o Office 365), que agora pode ser acessada através das soluções de gestão de identidade da SAP. 

Além disso, as empresas também anunciaram uma combinação entre o Gmail e o software de gestão com relacionamento com o cliente na nuvem C4C da SAP, do Calendar com a aplicação de viagens Concur e do Sheets com o SAP BusinessObjects Cloud. 

Um dos primeiros clientes a usar esses recursos integrados é a Colgate-Palmolive, que migrou 28 mil pessoas para o G Suite em 2016.