Dólar chegou a ser negociado por mais de R$ 5 nas casas de câmbio. Foto: Pixabay

A B3, Bolsa de Valores brasileira, suspendeu seus negócios às 10h30 de hoje por 30 minutos, após queda de 10,02% do Ibovespa, quando o indicador marcava 88.178,33 pontos.

Após a reabertura, o Ibovespa caía 9,54%  às 11h22, a 88.648 pontos. As ações da Petrobras chegaram a desabar 24% e as da Via Varejo, 22%.

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, o motivo é a queda no preço do petróleo no mercado internacional, a maior em um único dia desde a Guerra do Golfo, em 1991.

A queda acima de 10% no índice em relação ao fechamento de sexta-feira ativou o circuit breaker, mecanismo utilizado pela B3 que permite, na ocorrência de movimentos bruscos de mercado, o amortecimento das ordens de compra e de venda.

Esse instrumento funciona como um escudo à volatilidade excessiva em momentos atípicos de mercado.

Com o mecanismo, a negociação fica suspensa por 30 minutos e, reabertos os negócios, caso a variação do Ibovespa atinja uma oscilação negativa de 15% em relação ao índice de fechamento do dia anterior, os negócios são interrompidos por uma hora.

Esta é a 18ª vez que o mecanismo é acionado desde sua adoção em 1997. A última ocasião foi em 18 de maio de 2017, por causa da delação da JBS.

O dólar começou a semana batendo mais um recorde nominal - descontando a inflação - desde o Plano Real, atingindo a casa de R$ 4,79, na manhã desta segunda-feira. 

De acordo com levantamento do Estadão/Broadcast, a moeda americana chegou a ser negociada por mais de R$ 5 nas casas de câmbio.

Para tentar conter a disparada do dólar, o Banco Central vendeu US$ 3 bilhões à vista das reservas internacionais. 

No início da manhã, o BC cancelou o leilão de US$ 1 bilhão que faria e aumentou o valor para US$ 3 bilhões.

Às, 10h35, a moeda americana era cotada a R$ 4,7717, com aumento de 2,98%, depois de ter atingido a máxima de R$ 4,7927.

O dia é marcado por quedas em bolsas ao redor do mundo por medo do novo coronavírus e como consequência da disputa de preços de petróleo entre Arábia Saudita e Rússia. O barril do tipo Brent chegou a recuar 31%.

Ainda segundo O Estado de São Paulo, a Arábia Saudita reduziu os preços do petróleo, abrindo o caminho para um forte aumento de sua produção em abril. 

A decisão dos sauditas, anunciada no fim de semana, veio após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e os aliados da Opep+ não conseguirem fechar um acordo na última sexta-feira, 6.

A intenção do acordo era cortar ainda mais a produção do grupo, como parte de uma estratégia para amenizar o impacto econômico do coronavírus.

A Rússia, líder informal da Opep+, não aceitou uma proposta da Opep de reduzir a oferta coletiva em mais 1,5 milhão de barris por dia.

Na Ásia, as bolsas da China também fecharam em queda. O principal índice acionário do país, o Xangai Composite, teve recuo de 3,01%. 

Na Europa, os mercados abriram a manhã desta segunda com queda generalizada e, nos Estados Unidos, as negociações também foram suspensas em Wall Street na abertura, depois que o S&P 500 desabou 7%.