Da esquerda para a direita: secretário Paulo Bornhausen, Luciano Marcelino, Mauri Luiz Heerdt e Paulo Boff, em reunião. Foto: divulgação.

Membros da reitoria da Unisul se reuniram com o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina, Paulo Bornhausen, para pedir a reintegração da cidade de Tubarão ao grupo de municípios que compõem a rede de Centros de Inovação do Programa Inova@SC.

Inclusa entre as cidades polo de inovação do estado, Tubarão ficou de fora da primeira rodada de investimentos do programa por descumprir exigências como a não definição de um terreno a ser doado para a construção de centros da chamada Rede Catarinense de Inovação, para a qual o governo do estado anunciou investimento de R$ 40 milhões no começo deste mês.

Ao todo, são dez cidades pólo do estado que serão beneficiadas pelo programa, com investimentos em incubadoras de tecnologia, laboratórios de pesquisa, estruturas para treinamentos e educação profissionalizante.

“Nós entendemos que isso é um prejuízo muito grande para Tubarão, para a região e para a própria universidade. A Unisul articulou essa reunião com urgência para tentar reverter essa situação”, explica o diretor do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da instituição de ensino (Agetec), Paulo Boff.

Ele garante que na reunião, da qual também participaram o reitor, Sebastião Salésio Herdt, o vice-reitor, Mauri Luiz Heerdt, e os pró-reitores, Valter Alves Schmitz Neto e Luciano Marcelino, o secretário Bornhausen se manifestou a favor do pedido de reintegração do município ao programa.

Para o secretário, Tubarão pode ser reintegrada ao Inova@SC desde que as exigências para participar sejam cumpridas, o que inclui a aquisição de um terreno para construção do prédio onde vai funcionar o polo e a criação de uma lei municipal de incentivo à inovação.

“É uma tarefa que Tubarão precisa fazer. São ações que envolvem diversos segmentos da sociedade, industriais, empresários, universidade e prefeitura”, pontua Boff.

Ainda conforme o diretor da Agetec, reuniões já estão agendadas para tratar do assunto entre representantes da Unisul e da prefeitura de Tubarão.

Na segunda-feira, 08, uma nova reunião entre os representantes da cidade, o secretário Bornhausen e membros da Assembleia Legislativa e da Câmara de Vereadores também já está agendada.

Até o momento, fazem parte do Inova@SC os municípios de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Criciúma, Chapecó, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Lages e São Bento do Sul.

Ao lado de Tubarão, Concórdia também ficou excluída da primeira fase de investimentos aprovados pelo programa, por falta de um polo de tecnologia consolidado.

INOVA@SC
O programa prevê a instalação, nas cidades contempladas, centros de pesquisa em prédios de 4,5 mil metros quadrados nas localidades maiores e de 2,5 mil metros quadrados nas menores.

Os terrenos serão doados pelas prefeituras e a Fapesc fará investimentos na área de pesquisa, especialmente na área de incubação de empresas.

Todos os centros serão construídos dentro de parques tecnológicos dos municípios.

A previsão de início das obras é para maio e, segundo Colombo, as licitações estão abertas e devem estar concluídas até o final de abril.

Para entrega das estruturas iniciais dos centros, a previsão é de um ano, e para a conclusão, 18 meses.