LinkedIn compra site de ensino online. Foto: divulgação.

O LinkedIn está fechando a aquisição da companhia de ensino online Lynda.com, um negócio que deve custar US$ 1,5 bilhão para a companhia e deve expandir a operação da rede social profissional para o segmento de capacitações.

Sediado na Califórnia, o site Lynda.com produz conteúdos como aulas e tutoriais em vídeo (em várias linguagens) para profissionais que desejam aprender mais em áreas como software, tecnologia, criação e negócios.

Com a aquisição, os cursos do Lynda serão integrados com a plataforma do LinkedIn. A rede social pagará 52% do valor em dinheiro e a outra parte em ações, em um negócio que deve ser concluído no segundo trimestre. A informação é do Financial Times.

Por exemplo, um candidato pode usar o site para descobrir que habilidades e requisitos são necessários para atingir mais oportunidades de trabalho em sua cidade, sendo direcionado para o curso mais adequado.

Atualmente, os usuários pagam mensalidades de até US$ 375 para usar os serviços do Lynda, acessando desde as vídeoaulas até sessões de atendimento personalizado. Os conteúdos ficam por conta de mais de 1 mil autores, especializados em áreas variadas do conhecimento.

Para Jeff Winder, CEO do LinkedIn, o negócio com o Lynda faz todo o sentido para a rede social, já que ambas as empresas são alinhadas em sua proposta de ajudar profissionais em serem melhores do que elas fazem.

"Acredito firmemente que o problema da capacitação dos profissionais é um dos maiores desafios no futuro para a economia global", avaliou Winder.

Lynda Weiman, co-fundadora e chefe executiva do Lynda.com, acredita que os 350 milhões de usuários do LinkedIn poderão se beneficar do método que o site de ensino tem a oferecer.

“Nós (Lynda e LinkedIn) temos uma visão conjunta de como conectar conhecimentos relevantes para aqueles que precisam de novos ou melhores habilidades profissionais", destacou Weiman.

O Lynda.com registrou em 2014 uma receita de aproximadamente US$ 150 milhões, com dois terços vindos de assinaturas individuais e outro terço de clientes corporativos. Segundo dados divulgados pela própria empresa, ela registra um crescimento de 40% ano a ano, com 500 empregados ao redor do mundo.

Com o valor de US$ 1,5 bilhão, o site de ensino online se torna a maior aquisição da história do LinkedIn, que até então só tinha desembolsado o valor de US$ 175 milhões na compra da Bizo, uma empresa de marketing business-to-business (B2B).