App permite interação entre marcas e clientes. Foto: flickr.com/photos/calliope/

O Pinion, plataforma mobile de crowdsourcing, recebeu um aporte de capital de R$ 1,2 milhão de três investidores-anjo, Joá Investimentos e Marcelo Loureiro (o terceiro não foi divulgado).

Através de um aplicativo para smartphones, a companhia promove missões criadas por empresas com o objetivo de permitir que os consumidores opinem e interajam com as marcas em troca de pontos e dinheiro.

Com o recurso, a empresa  pretende ampliar a presença no mercado e aperfeiçoar a experiência do usuário com o aplicativo para smartphones que promove “missões” criadas por empresas.

Para utilizar o serviço, as empresas e marcas expressam suas demandas e o site publica missões a fim de coletar informações atualizadas, além de captar a opinião espontânea dos usuários (chamados Opiners) sobre questões como valores de uma marca, variação de preços, localização dos produtos nas prateleiras, condições de embalagens e promoções.

Os usuários são notificados sempre que novas pesquisas estão disponíveis e os valores pagos variam de acordo com a complexidade e prazo de resposta.

Muitas missões são exclusivamente virtuais, necessitando que o usuário interaja e forneça suas opiniões pelo smartphone.

Outras precisam de um deslocamento físico, como, por exemplo, para fotografar o preço de um produto em pontos de venda predeterminados, apontados pelo sistema de geolocalização do celular, garantindo assim segurança e eficiência para o cliente.

Todas as missões aprovadas geram remunerações. A cada R$ 50 reunidos é possível solicitar a transferência do dinheiro para uma conta bancária.

O app, lançado no início do ano, conta com mais de 10 mil usuários. São cerca de 25 mil missões aprovadas até o momento.