Qualcomm firma parceria com o Governo. Foto: divulgação.

A Qualcomm anunciou nesta quinta-feira, 09, que assinou dois Memorandos de Entendimento (MoU, na sigla em inglês), em que suas subsidiárias Qualcomm Serviços e Qualcomm Technologies colaborarão com o governo no desenvolvimento de semicondutores de alto desempenho.

Esses MoUs, representados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), pelo Ministério das Comunicações (MC) e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), visam a apoiar a o país no desenvolvimento do conhecimento de alta tecnologia, capital humano e o ecossistema da indústria no Brasil.

Com este impulso, o objetivo é fomentar a inclusão digital com a adoção de dispositivos móveis avançados, como smartphones e tablets, com a produção de dispositivos de maior desempenho por menor custo.

O primeiro memorando foi assinado entre o MDIC, MCTI, MC e a Qualcomm Serviços, com o objetivo de potencialmente fomentar a crescente adoção por brasileiros de dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

A intenção é incentivar a inclusão digital por meio do desenvolvimento de desenhos de referência de smartphones, com vistas ao aumento na oferta de dispositivos móveis acessíveis e prontos para acesso à banda larga no país.

O outro memorando, assinado entre MDIC, MCTI, MC e e Qualcomm Technologies, tem a intenção de aumentar potencialmente a exposição da indústria brasileira de smartphones à mais recente tecnologia, além de conduzir a validação de um processo de fabricação de tecnologia avançada e de pacotes avançados para smartphones altamente integrados em colaboração com fabricantes brasileiros.

Na prática, com o acordo o Governo terá o apoio da Qualcomm e de seus contatos na cadeia de produção para vender o país como um lugar onde fabricantes de chips poderão se instalar. Em contrapartida, será aberto para negociar melhorias de condições para a produção.

“Vamos identificar o que pode ser feito para tornar o Brasil mais atraente para a indústria. Mas o governo também nos provocou a fazer algo prático. Por isso, vamos fazer aqui a validação de uma nova tecnologia que a Qualcomm desenvolveu para fabricar smartphones de forma mais eficiente”, diz o presidente da Qualcomm para a América Latina, Rafael Steinhauser.

Segundo secretario executivo do Ministério do Desenvolvimento, Ricardo Schaefer, os MoUs ajudarão o país a definir alvos e objetivos da inserção do Brasil de forma mais favorável no mercado mundial de semicondutores, avaliado em torno de US$ 351 bilhões.

"Queremos que o Brasil possa concorrer nesse mercado, até para melhorar a balança comercial que é deficitária nesse setor”, defendeu o secretário.

A aposta em semicondutores de alto desempenho tem a ver com crescente investimento da Qualcomm na fabricação de chips 4G no país, um plano anunciado pela companhia em meados de 2012, quanto chegou ao país.

A empresa americana se comprometeu a produzir chips para as diferentes tecnologias da quarta geração de celular (4G) que forem adotadas no Brasil.