Rodrigo Galvão.

Rodrigo Galvão, um funcionário de carreira da Oracle, é o novo presidente da empresa no Brasil.

O cargo estava vago desde o novembro do ano passado, quando Cyro Diehl deixou o comando da Oracle no país (Diehl lançou recentemente a Cloud Target, focada em computação em nuvem).

Galvão começou a carreira na multinacional americana em 2002, como trainee da área financeira. 

Desde então, ocupou posições na área de Vendas, como gerente e diretor, até ser vice-presidente em 2015. Desde 2016, liderou a área de Vendas e Inovação em Cloud.

“A nomeação de Rodrigo Galvão é a prova de um desenvolvimento sólido de carreira. Seu perfil elevará ainda mais a contribuição da Oracle ao mercado brasileiro com uma nova visão de modernidade e criatividade”, afirma Luiz Meisler, vice-presidente executivo da Oracle América Latina.

Galvão é bacharel em Business Administration pela PUC-SP e possui dois Masters em Business Administration pela Michigan University e pela IESE Business School.

A entrada de Galvão se dá em um momento em que a Oracle está aumentando seus investimentos no Brasil, com a abertura de um segundo data center, e apostando na migração dos clientes para software na nuvem.

Parte dos planos é aumentar a presença no que a multinacional define como médias empresas, abaixo de  US$ 200 milhões de faturamento.

Isso significa entrar em rota de colisão com a Totvs, hoje dona desse mercado no país.

Dados da estudo anual sobre o mercado de TI feito pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV) no segmento intermediário de companhias usuárias de ERP, com 170 a 700 teclados, a Totvs lidera com 40%. A SAP segue em segundo lugar, com 25% e Oracle tem 16%.