Serviço pretende diminuir filas nos terminais rodoviários. Foto: flickr.com/photos/agecombahia

O Netviagem, site que oferece compra online de passagens de ônibus, quer chegar à marca de 1 milhão de bilhetes em 2012.

O serviço permite que o usuário, com um cadastro, tenha em mãos o voucher e garanta lugar no ônibus.

Alberto Graciano, CEO do Netviagem, espera um crescimento de 67% até o final do ano em venda de bilhetes, batendo a marca do milhão.

Por política interna, o executivo não informa o faturamento. No entanto, revela que o site transacionou em 2011 uma soma próxima a R$ 42 milhões, número que deve crescer 47% neste ano, chegando a R$ 62 milhões.

“Nós temos flexibilidade nos contratos negociados com as empresas. A maioria é fechada com a cobrança de taxa de serviço ao usuário e outros casos a empresa paga um valor de comissão”, explica.

O site funciona como um centralizador. Um cliente que deseja viajar de Taubaté, em São Paulo, para Caçador, em Santa Catarina, trecho que não possui uma ligação direta, acessa o Netviagem e consegue comprar com duas empresas diferentes, exemplifica Graciano.

A empresa surgiu quando os fundadores estudavam Ciência da Computação na Universidade Federal de Uberlândia, em 1998. Eles iniciaram incubados com a G&M, detentora do Netviagem.

Graciano realiza pesquisas e desenvolvimento de novas tecnologias para o setor de transportes. André Carlos Menck, que ingressou na empresa em 2000 como consultor de marketing e estratégia, hoje é seu sócio.

Com cerca de 30 colaboradores, a empresa não conta com o aporte de investidores. Graciano diz que desde o lançamento do projeto já foram investidos mais de R$ 6 milhões em pesquisa e desenvolvimento.

O site abrange cerca de 16 mil conexões entre cidades. A empresa ainda não tem o objetivo de oferecer rotas para outros países.

São em torno de 30 companhias de viações e, atualmente, o Netviagem não tem presença no Sul.

Em fase de prospecção na região, a empresa busca empresas para fechar contratos. Reunidas e Real já estão em fase de implementação do sistema.

CONCORRÊNCIA
Para Alberto Graciano, o mercado de venda de passagens online é incipiente no setor rodoviário.

“Atualmente, as compras de bilhetes pela internet giram em torno de 5% do total de vendas e nossas projeções apontam para um potencial de 15%. Acreditamos que até 2015 chegue próximo a 25% de vendas online. Esta é uma previsão conservadora e poderá ser superior.”, projeta.

Conforme o executivo, a projeção baseou-se em um estudo comparativo com um mercado de trens da Europa.

Com o objetivo de ser um agregador de informações, o Netviagem tem como concorrência os sites das próprias empresas. “Também existem alguns sites que oferecem o mesmo serviço, mas sem expressividade”, acredita.

A empresa está investindo em desenvolvimento de novas tecnologias com o objetivo de facilitar a compra da passagens. Sem revelar detalhes, Graciano diz que no próximo trimestre, será lançada novidade para a compra em dispositivos moveis.

“Estes investimentos ajudam a migração das pessoas para o ambiente virtual”, acredita.

ENTRAVE
A situação das rodovias também impacta no negócio. “Observamos por parte do governo uma posição injusta com o setor, já que as passagens rodoviárias tem incidência do ICMS, ao contrário das passagens aéreas que são isentas do recolhimento”, diz Graciano.

Conforme avaliação do CEO, o setor aeroviário é competitivo nos trechos de a partir de 500 km.

“Para o passageiro conseguir preços competitivos, terá que comprar o bilhete com grande antecedência. Ou seja, o aéreo atende ao nosso público apenas na baixa estação e se a passagem for comprada com muita antecedência”, argumenta.

GRANDES EVENTOS
A perspectiva é que os eventos esportivos – Copa do Mundo em 2014 e Olimpíadas em 2016 - a empresa consiga um salto no crescimento. “Como ainda faltam dois anos estamos fazendo o estudo de demanda”, afirma.

Os acessos externos abrangem 145 países, conforme o executivo. “Até o mês de maio de 2012 foram 65 mil acessos e cerca de 6 mil bilhetes vendidos. Os usuários estrangeiros cadastrados somam 6 mil”, resume.

Para atender à procura, no segundo semestre, estarão disponíveis as versões em inglês e espanhol.