A Finamac entrega hoje máquinas para 15 das 17 maiores marcas de picolés dos Estados Unidos. Foto: Divulgação.

A Finamac, especialista na fabricação de máquinas de sorvete, adotou o Solid Edge, da Siemens PLM, no processo de engenharia.

Fundada em 1985, a Finamac entrega hoje máquinas para 15 das 17 maiores marcas de picolés dos Estados Unidos.

"Os produtos fabricados pela Finamac começaram a ter alto nível de complexidade e vários outros fatores passaram a ser considerados na idealização de um novo produto, sendo um deles a ergonomia, tanto por parte do usuário do produto oferecido quanto por parte do técnico de manutenção. Surgiu também a necessidade de mostrar ao mercado um produto ainda não existente e fazer as modificações exigidas por futuros clientes, quase que em tempo real", explica Marino Arpino, fundador da empresa.

Os primeiros produtos (sem o Solid Edge) possuíam apenas o projeto de conjuntos mecânicos feitos ainda em 2D, enquanto que os produtos subsequentes (com o Solid Edge) passaram a ter também, além da mecânica (agora em 3D), a tubulação, fiação (instalação elétrica completa), chaparia, superfícies curvas para materiais compostos em uma infinidade de melhorias.

O ciclo de um único produto (projeto-prototipagem-fabricação) foi reduzido de três ou quatro anos para um ano apenas, em média, sendo que cada produto teve seu número de componentes triplicado (peças projetadas e desenhadas). O custo médio horário de engenharia da Finamac gira em torno de R$ 2000, o que significa um gasto de aproximadamente R$ 350 mil num ano, para um único projeto, considerando-se o uso do Solid Edge. Sem o Solid Edge o custo girava em torno de R$ 1 milhão", revela Arpino.

A Finamac é considerada como uma early adopter na Siemens, pois busca sempre a nova versão da solução.