Quem vai levar a conta da Herval? Foto: flickr.com/photos/27857804@N00/

Duas empresas e um consórcio de companhias estão disputando a implementação do sistema de gestão da SAP no Grupo Herval.

Segundo a reportagem do Baguete Diário apurou com fontes de mercado, as empresas são a alemã T-Systems e a paranaense Pelissari.

Já o consórcio é formado pela paulista Formers e as gaúchas ITS Group e Grupo Meta.

A implementação do SAP no grupo, revelada em primeira mão pelo Baguete  em abril, promete ser um dos maiores e mais complexos projetos de TI do Rio Grande do Sul nos próximos anos.

A Herval tem 11 empresas, 20 linhas de negócio e faturamento de R$ 2 bilhões no ano passado. O projeto deve ser dividido em cinco fases, em um período de três a quatro anos.

A disputa entre os fornecedores promete. A T-Systems é uma multinacional com experiência no atendimento de grandes contas SAP como Wolkswagen, além de atuar com força no mercado de data centers e possuir um centro de suporte instalado em Blumenau. O ponto fraco da empresa pode ser o fator custo.

Sediada em Curitiba, a Pelissari é um parceiro SAP com forte atuação no Sul do Brasil. A empresa conduz no momento dois grandes projetos de implementação do ERP da multinacional, um na fundição Tupy e outro na Tigre.

A Pelissari faturou R$ 53 milhões em 2012, alta de 40% frente ao ano anterior.

O consórcio Formers-Meta-ITS une expertises complementares. Fundada em 2011, a Formers é um canal recente da SAP, mas já possui projetos de destaque na área de varejo, com ênfase em mobilidade como a Chilli Beans. O faturamento ano passado foi de R$ 12 milhões.

O ITS Group é um dos Master VAR da SAP que já entregou projetos grandes na área de manufatura, uma parte importante do negócio do Grupo Herval, que é conhecido pela operação de varejo das lojas TaQi, mas também tem presença em distribuição, atacado, indústrias e  transporte.

A Meta, que recentemente inaugurou um Centro de Excelência em SAP em Santa Maria, no interior do Rio Grande do Sul, com investimento total de R$ 5 milhões e capacidade para 350 pessoas, entra em cena com a capacidade de fábrica de software.

Pode pesar em contra do consórcio um temor por parte da Herval de entregar um projeto desse porte não a um, mas a três parceiros. Esse fator pode ser minimizado pelo fato de Meta e ITS já atuarem juntas no projeto de implementação de SAP da Medabil desde o começo de 2012.

É isso. Façam suas apostas.