Startup portoalegrense entra na briga dos apps de motoboys. Foto: divulgação.

A startup gaúcha Play Delivery é a mais nova competidora no povoado mercado de apps para solicitação de motoboys. Com a plataforma de mesmo nome da companhia, a empresa mira o mercado na capital gaúcha, com o plano de legalizar e profissionalizar o mercado de entregas expressas na cidade.

Criada pelos empresários André Kautz, Edu Kautz e Marcos Knewitz em junho, o serviço (disponível para iOS e Android) já conta com cerca de 1500 clientes cadastrados e 2 mil entregas realizadas. A projeção é aumentar este número em 300% até o fim do ano além de expandir para outros estados.

De acordo com os criadores do app, o serviço conta com outros recursos além da solicitação de fretes. Outras funcionalidades como otimização de logística e conectividade social entre para os motoboys cadastrados também fazem parte da plataforma.

A empresa também quer ser uma aliada das empresas que já atuam no mercado cooperativas e possui um sistema personalizado para agregar aos serviços das mesmas, dando acesso a geolocalização e controle financeiro.

"Buscamos além das vantagens para pessoas e empresas, o reconhecimento ao trabalho da categoria,” conta Marcos Knewitz, empresário que também é diretor de operações da Mobo, empresa fundada junto com Edu Kautz e cujo produto é um app de cupons de desconto na web.

André Kautz, por sua vez, é um desenvolvedor de TI com passagens em diversas empresas do ramo como Teclógica e Datacom, onde trabalhou como gerente de projetos e líder de equipe de desenvolvimento, respectivamente. Ele também tem passagens como analista de sistema em empresas como HP e Procempa.

Além dos planos de atuação na capital gaúcha, a empresa já planeja movimentos para levar o produto a outros estados. A previsão é que nos próximos meses a tecnologia também chegue a São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Ao entrar no mercado, a Play Delivery terá que lidar com um ambiente povoado. Nos últimos dois anos, diversos apps voltados ao serviço de motoboys foram lançados, como nomes como MovMov.it, SpeedyBoy, VaiMoto e 99Motos.

Em meio à esta grande lista, nomes como a Loggi conquistaram maior destaque nos últimos tempos, investindo pesado para expandir sua presença e divulgar a marca. No mês passado, a companhia anunciou o recebimento de um aporte de R$ 50 milhões de três fundos de capital de risco - Dragoneer Investment Group, Monashees Capital e Qualcomm Ventures.

Com o investimento, o plano da companhia é manter o crescimento mensal de 30% do número de clientes da Loggi. A plataforma possui atualmente 10 mil clientes corporativos. Em operação desde 2013, a Loggi atua com uma rede de mil motoboys habilitados, com 150 mil entregas por mês na grande São Paulo.