Foram 9.631.424 aparelhos vendidos no período. Foto: Pixabay.

O estudo IDC Brazil Mobile Phone Tracker 2Q2020, realizado pela International Data Corporation (IDC), apontou que a venda de celulares no Brasil entre abril e junho deste ano foi de 9.631.424 aparelhos, uma queda de 30,7% em relação ao mesmo período de 2019.

Segundo a empresa, essa é uma das piores quedas da categoria e foi causada principalmente pelas dificuldades no abastecimento de componentes provenientes da China e pelo fechamento do comércio devido à pandemia, além do aumento de preços por conta das flutuações cambiais.

O impacto só não foi pior graças aos canais de venda on-line, que expressaram movimento acima da expectativa, mas não o suficiente para minimizar a queda no segundo trimestre. 

Do total de aparelhos vendidos no período, 8.745,054 foram pelos canais oficiais, sendo 8.353,195 smartphones e 391.858 feature phones, quedas de 31,1% e 54%, respectivamente, em relação ao segundo trimestre de 2019. 

No mercado cinza, o resultado de vendas de smartphones surpreendeu como o único que apresentou crescimento: foram vendidos 790.431 smartphones, alta de 8,3% em relação ao 2º trimestre de 2019.

Já os feature phones tiveram uma venda de 95.939 unidades no grey market, queda de 51,1% também ano a ano, mas a retração também já era prevista. 

A categoria mais vendida no segundo trimestre de 2020, considerando as vendas no mercado oficial e no cinza, foi a de smartphones intermediários (high end), com 3.363.076 unidades de preço entre R$ 1.100 e R$ 1.999. 

Na sequência, com 3.247.741 de unidades vendidas, ficaram os mid end, modelos com preços de entrada entre R$ 700 e R$ 1.099.

Em termos de preços, os índices do 2º trimestre de 2020 são todos de alta. 

No período, o preço médio de um smartphone foi de R$ 1.539 no mercado oficial e de R$ 1.727 no grey market, altas de 22,9% e 36,2%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano passado. 

O ticket médio dos feature phones ficou 39,5% mais alto no mercado oficial e 24,6% no grey market. 

Já quando se compara os preços do 2º trimestre com os do 1º trimestre de 2020, a alta não é tão acentuada. De janeiro a março, o ticket médio do smartphone, por exemplo, foi de R$ 1.476 e do feature phone, R$ 143.

Ainda segundo o IDC Brazil Mobile Phone Tracker 2Q2020, a receita total do mercado de celulares no 2º trimestre de 2020 foi de R$ 14,846 bilhões, 8,5% a menos do que o mesmo período de 2019. 

Desse montante, smartphones respondem a R$ 14,30 bilhões e feature phones, a R$ 82,64 milhões.

Para o terceiro trimestre de 2020, a IDC Brasil prevê uma retomada gradual das vendas com a reabertura das lojas físicas.

"A categoria deve acompanhar os indicadores macroeconômicos que projetam melhorias do PIB e também ser favorecida pelo auxílio emergencial estendido até dezembro", aponta Renato Meireles, analista de pesquisa e consultoria em consumer devices da IDC Brasil.

Fundada em 1964, a IDC é uma subsidiária da IDG, empresa de tecnologia, pesquisa e mídia de eventos. Ela conta com mais de 1,1 mil analistas atuando em 110 países.