Tallis Gomes. foto: divulgação.

O Easy Taxi, app mobile de solicitação de táxis, foi escolhido por cinco fabricantes para integrar a sua lista de aplicações nacionais nos smartphones enquadrados na Lei do Bem, que prevê a desoneração de celulares fabricados no Brasil.

As listas oficiais dos aplicativos nacionais escolhidos pelos fabricantes ainda não foram divulgadas, mas segundo o Mobile Time, a empresa carioca responsável pelo app já comemorou a escolha.

Segundo a portaria do Ministério das Comunicações, para ter direito à desoneração, as fabricantes terão que incluir pelo menos cinco títulos nacionais a partir de 10 de outubro. Por enquanto, apenas o nome de um dos fabricantes foi revelado: a Nokia.

Para Tallis Gomes, CEO da Easy Taxi, entrar na lista de apps embarcados ajudará a plataforma a atingir mais consumidores em um tempo menor e com menos gasto em marketing.

"A relação estabelecida com os fabricantes foi de ganha-ganha, ou seja, nenhum dos dois lados precisou pagar ao outro pela inclusão do aplicativo. A expectativa é de que esse seja o formato predominante na maioria dos casos", destaca o CEO.

O app, já lançado para Android, iOS e Windows Phone, também já vem embutido em celulares em outros países. As operadoras da Tigo, que atua em diversos países da América Latina, incluem o app em seus aparelhos porque têm um investidor internacional em comum com a Easy Taxi.

A Easy Taxi está presente em 67 cidades de 14 países, com 60 mil taxistas cadastrados. O app se aproxima rapidamente de 2 milhões de downloads, o que deve acontecer antes do final do ano. O Brasil é o principal mercado, com a Colômbia em segundo lugar.