Oi satélite.

O satélite Cbers-3, lançado na madrugada desta segunda-feira, 09, de entrou em uma órbita errada, perdeu contato com o os operadores na Terra e, muito provavelmente, está em alguma parte do fundo do oceano neste momento.

O equipamento, que custou R$ 160 milhões ao governo brasileiro, chegou a entrar em órbita e abrir os painéis solares, estágios críticos do processo, mas, ao passar pela Antártida perdeu o contato e não voltou a se comunicar.

Em nota, o Ministério de Ciência e Tecnologia afirmou que houve uma falha de funcionamento do veículo lançador durante o voo que colocou o satélite fora da órbita prevista e que "avaliações preliminares" indicam que o mesmo caiu de volta para a terra.

Ainda de acordo com o MCT, uma reunião foi convocada para esta terça-feira, 10, para iniciar discussões técnicas visando a antecipação da montagem e lançamento do CBERS-4.

O lançamento aconteceu três anos após a data prevista inicialmente pelo Inpe, que desenvolveu o projeto em parceria com a Cast.

Os ministros da Ciência e Tecnologia, Mário Raupp, e das Comunicações, Paulo Bernardo, viajaram à China para o lançamento.

O Cbers-3 tem quatro câmeras, de diferentes resoluções e capacidade de captação, responsáveis por coletar imagens com maior qualidade de atividades agrícolas e contribuir com o monitoramento da Amazônia, auxiliando no combate de possíveis desmatamentos ilegais e queimadas.