Taxijá agora em Curitiba e outras três cidades. Foto: divulgação.

O app Taxijá, que possibilita solicitar táxis via smartphone, anunciou nesta semana a sua expansão para mais quatro cidades. O serviço, lançado em setembro em São Paulo, estará também em operação em Curitiba, Salvador, Teresina e Jundiaí até o final de janeiro.

 
O aplicativo, em versões para Android e iOS, permite que o passageiro solicite uma corrida com poucos cliques, dispensando chamadas telefônicas. Além disso, é possível acompanhar em tempo real a atualização da posição, distância e tempo estimado para a chegada do carro.
 
Desenvolvido pela startup Mobinov, o app com versões para iOS e Android já conta na capital paulista com uma base de 600 taxistas filiados e mais de 30 mil usuários cadastrados, registrando uma média mensal de 1,2 mil chamadas de taxi.
 
A iniciativa, financiada com um investimento próprio inicial de R$ 650 mil, recebeu em novembro um aporte de R$ 3 milhões da paulista Scala IT para a expansão. 
 
Além disso, os recursos servirão para a incorporação de novas funcionalidades, como pagamento com cartão de crédito no próprio smartphone e voucher eletrônico, em substituição ao papel.
 
Segundo Arthur Pelanda, um dos idealizadores do app, a empresa desenvolveu um modelo de negócio especial para cada região e, ao lado de parceiros estratégicos, está em busca de mais visibilidade no lançamento do projeto. 
 
"Nossa meta é estar em todas as cidades-sede da Copa do Mundo, até o final deste ano", explica Arthur.
 
O Taxijá conta também com uma versão em inglês, destinada aos turistas em passagem pelas cidades que contam com o serviço. Para acessar esta versão, basta que o smartphone esteja configurado para qualquer língua, diferente do português.
 
COMO FUNCIONA
 
Os taxistas interessados podem se cadastrar gratuitamente para começar a utilizar o aplicativo mobile, sem o pagamento de taxas, por um período promocional de três meses. 
 
Após este prazo, é cobrada uma taxa mínima de serviço, no valor de R$ 2 por cada corrida. Aos passageiros, o serviço oferecido será sempre gratuito. 
 
Já consagrada no segmento de transporte, os idealizadores desta ferramenta prospectam um aumento significativo no faturamento anual de 2013, com uma receita esperada de R$ 8 milhões.