A equipe da Suporte TI: Ricardo Bordim, Alisson Signori, Cristian Hillebrand e Mauro Lodi. Foto: divulgação.

A Suporte TI, startup de Passo Fundo, quer se destacar no mercado de TI para saúde. Para isso, está investindo em seu primeiro produto, o AllClinic for Web, um sistema em nuvem para a gestão em clínicas.

Fundada por analistas de sistemas com experiência na área de TI para instituições de saúde, a startup iniciou o desenvolvimento da aplicação em 2012, focando em clínicas de diagnóstico por imagem.

Financiado com recursos de aproximadamente R$ 100 mil do bolso dos sócios, o software engoba módulos como agendamento de horários, recepção, financeiro, entre outros.

Segundo Mauro Lodi, um dos sócios da empresa, o plano é convergir em um único produto os recursos existentes em um RIS (Radiology Information System) com um eficaz back office.

Lodi, juntamente com Ricardo Bordim, outro sócio-fundador, trabalhou no setor de TI da Clínica Kozma, rede de clínicas com unidades em Passo Fundo, Chapecó, Erechim, Frederico Westphalen e Pato Branco.

A partir desta experiência, os colegas resolveram fundar a startup. Com o projeto do AllClinic, a startup foi destaque entre os projetos incubados em 2013 na Incubatec, incubadora de base tecnológica instalada na Faculdade Meridional (IMED), em Passo Fundo.

Conforme explica Lodi, atualmente todas as regras de negócio mapeadas estão sendo prototipadas, com pilotos em vários clientes em mais de dez municípios do Rio Grande do Sul.

Esta primeira versão do AllClinic ainda não funciona na nuvem, e roda nas estruturas internas das instituições. Conforme Lodi, que não informou o nome dos clientes, o plano é levar o produto para o ambiente virtual em 2015.

"Contamos com a parceria das clínicas para isso. Nosso plano é desenvolver a plataforma em módulos integráveis, atendendo a diferentes demandas", explica o sócio.

Para acelerar o desenvolvimento da versão oficial do programa, a companhia pretende investir mais em tecnologia e ampliação do quadro de colaboradores - um incremento de 30%.

“No projeto estamos utilizando tecnologias de ponta, oferecendo robustez, desempenho, integridade, flexibilidade, tudo isso em uma plataforma web leve e intuitiva”, completa Ricardo Bordim, um dos sócios fundadores.

Embora o foco inicial seja o das clínicas de diagnóstico por imagem, Lodi admite que o setor tecnologia para saúde é um mercado fértil, e a solução pode se expandir para outras necessidades do segmento.

"Pensamos inicialmente em locais menores, mas vimos que a demanda por soluções integradas de gestão clínica está em alta. Acredito que podemos crescer bastante com nosso produto", avalia Lodi.

Além de startups como a Suporte TI, as empresas grandes também enxergam no segmento de saúde uma mina de ouro.

Um exemplo é o da Intel Capital, braço de investimento da fabricante de chips. Em 2012, o fundo investiu R$ 5 milhões na Pixeson, que tem sede em Florianópolis e é especista em PACS (sigla em inglês para Sistema de Gestão de Imagens Médicas).

A Philips Healthcare também fez seus investimentos para crescer no setor, investindo na compra da Wheb Sistemas, de Blumenau, no começo de 2012.

A adquirida é focada em ERP para a saúde e, segundo declarou à época da compra o CEO da Philips Healthcare, Steve Rusckowski, será o “combustível do crescimento na região nos próximos anos”.