QR Linx já está integrado com Ame Digital e Mercado Pago. Foto: divulgação.

A Linx, líder em software de gestão para o varejo, vai oferecer aos clientes a opção de pagamento via QR Code integrada ao aplicativo PicPay, um dos maiores do segmento.

Começando agora em janeiro, a opção estará disponível em mais de 100 mil estabelecimentos que operam o sistema Linx.

No caixa, o varejista deixará à mostra apenas um QR Code, que poderá ser pago em diferentes plataformas, como o PicPay e outras carteiras digitais como o Ame Digital, da Americanas.com, e Mercado Pago, do Mercado Livre, que já faziam parte da plataforma da Linx.

"Com o QR Linx, vamos impulsionar o uso dos pagamentos via wallet no mercado", afirma Denis Piovezan, vice-presidente da Linx Pay Hub, fintech da Linx.

Para a empresa, o momento contribui para escalar a aceitação do QR Code, uma vez que a tecnologia reduz o número de intermediários e os custos das transações. 

"O pagamento feito via QR Code traz inovação para o varejo e atende a três anseios dos consumidores: segurança, facilidade de uso e rapidez. Essa tecnologia também democratiza o acesso ao consumo, já que, para utilizar o nosso aplicativo, não é preciso ter conta bancária ou cartão de plástico", afirma Elvis Tinti, diretor comercial do PicPay.

O tipo de pagamento, assunto que já estava em alta no ano passado, deve ganhar força em 2020.

De acordo com uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) e da AGP Pesquisas, 82% dos varejistas brasileiros pretendem adotar aplicativos e serviços de QR Code como meios de pagamento neste ano.

Em dezembro, o Sicoob, sistema formado por cooperativas de crédito, anunciou o lançamento de pagamento via QR Code para o primeiro semestre de 2020.

No mesmo mês, o Banco Original lançou o saque via QR Code, com o uso do aplicativo e retirada do dinheiro nos caixas eletrônicos do Banco24Horas.

Já o Itaú lançou em maio o Iti, aplicativo de pagamento via QR Code que dispensa o uso de máquina e cartão físico.

Criado em 2012, o PicPay é pioneiro no uso do código para movimentações financeiras no país e já ultrapassou a marca 13 milhões de usuários com 3,5 milhões de transações do gênero.

A Linx é uma empresa brasileira com 42,2% do mercado de software de gestão para o varejo. Com capital aberto na B3 desde 2013, ela também se tornou a primeira empresa brasileira de software com capital aberto na NYSE, em 2019. 

A companhia possui mais de 3,5 mil colaboradores distribuídos entre sua sede em São Paulo, 15 filiais pelo Brasil e cinco países da América.