Procergs terá Antonio Ramos Gomes na presidência. Foto: divulgação.

Antonio Ramos Gomes foi nomeado pelo governador José Ivo Sartori (PMDB) como o novo presidente da Procergs.

"Como profissional de TI com longa atuação neste mercado, é com grande honra, satisfação e orgulho que recebo e aceito o convite para assumir a presidência da Procergs", disse o novo presidente da companhia em nota divulgada à imprensa.

Formado em Economia pela UFRGS e com MBA pela UNA/MG/Net Boston, Gomes  tem 43 anos de experiência como consultor em tecnologia da informação (TI) e comunicação.

No segmento privado, o executivo foi gestor comercial da unidade gaúcha da Dotsoft, partner gold da Microsoft em soluções de dynamics AX e CRM, e diretor comercial da BIOAX, empresa do Grupo Meta IT, responsável pela comercialização e implementação do ERP AX-Dynamics da Microsoft.

Na Procergs, já exerceu os cargos de diretor técnico e comercial (1995 a 1998), de vice-presidente e diretor administrativo-financeiro e de relacionamento com clientes (2009 a 2011).

Entre outras atividades, atuou ainda como gerente de Operações do Rio Grande do Sul, gerente-geral do Mercado Governo e gerente de Relações Institucionais da Datasul S/A. Em 2004 e 2005, como consultor do Banco Mundial, realizou avaliação e pareceres para a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão, envolvendo questões sobre TI.

O nome de Gomes circulava no mercado como um dos possíveis candidatos a assumir a estatal, mas não o favorito.

Fontes na estatal ouvidas pelo Baguete colocavam mais fichas em nomes como Ademir Picolli, ex-presidente da Procergs durante o governo Yeda Crusius (PSDB) e Roni Marques, diretor de operações durante o governo Germano Rigotto (PMDB).

De acordo com o novo presidente, o desafio da companhia é conseguir atender as demandas do novo governo, inovando tanto na melhoria da gestão pública e na otimização e melhoria dos serviços públicos ofertados ao público.

Com cerca de mil funcionários, a uma estatal importante no cenário de TI gaúcho. Em março, homologou um contrato de fábrica de software no valor de R$ 9,9 milhões com a DBServer.