Ana Beatriz Godoi, rainha de bateria da Rosas de Ouro. Foto: Ferdinando Mendonça / Edu Graboski / Divulgação

A Rosas de Ouro, uma das escolas de samba mais tradicionais do carnaval paulistano, vai levar a Indústria 4.0 para a avenida neste ano, com o tema  “Tempos Modernos”.

Em colaboração com empresas de tecnologia e três instituições de ensino superior, a escola vai levar ao Sambódromo do Anhembi diferentes experiências digitais interativas.

Entre as universidades, estão participando a Poli-USP, o Centro Universitário FEI e o Instituo Mauá de Tecnologia.

Duas versões do carro abre alas foram desenvolvidas, uma em 3D e a outra em realidade aumentada.

Além disso, haverão quatro braços mecânicos robotizados, sendo dois no carro abre alas e um no terceiro carro, que simulará o processo de montagem de um cérebro.

Na bateria, os alunos do FEI programaram um robô que entregará baquetas aos ritmistas.

Haverá também o aplicativo Carnaval 4.0, onde será possível ver dois carros alegóricos em RA projetados em algum espaço vazio e plano. 

De acordo com o centro universitário, será possível movê-los e observá-los no ambiente escolhido no sambódromo, na rua, em casa ou em qualquer local interno. 

No mesmo aplicativo, foi desenvolvido um quiz interativo sobre as transformações digitais, com o objetivo de levar conhecimento sobre o tema ao público.

A SPI, empresa nacional que promove soluções em automação industrial e tecnologia da informação, também está envolvida nos projetos das instituições.

"O Carnaval não é apenas a melhor forma para apresentar a Revolução 4.0 para o mundo, mas também uma oportunidade ímpar para a sociedade experimentar a revolução por meio de experiências digitais", diz Élcio Brito, diretor de tecnologia da SPI.

Já a transformação da mobilidade urbana estará representada em uma das alas da escola, onde um grupo cênico desfilará com 20 monociclos elétricos da Eletricz, distribuidora especializada no tipo de transporte, que aparece pela primeira vez no carnaval brasileiro.

Algumas coisas seguirão uma linha mais tradicional: a rainha de bateria, Ana Beatriz Godoi, irá representar uma deusa tecnológica, com uma fantasia com 10 mil cristais e muito cabelo sintético.

O desfile será o último da segunda noite do carnaval paulistano, às 5h10 de domingo, 23 de fevereiro.

Fundada em 1971, a Sociedade Rosas de Ouro é conhecida pelas cores rosa, azul e branco. 

A escola já foi campeã do grupo especial por sete vezes, sendo a última em 2010. No ano passado, ficou em terceiro lugar.