Alberto Menache. Foto: divulgação.

A Linx, especializada em TI para o varejo, encerrou o primeiro trimestre de 2013 com receita líquida de R$ 63,8 milhões, 23,6% superior aos R$51,6 milhões do mesmo período de 2012, e lucro líquido de R$ 11,9 milhões, alta de 64,3% ano/ano.

O Ebitda somou R$ 17,2 milhões no 1T13, aumento de 9,9% em comparação aos R$ 15,7 milhões do 1T12, e o lucro caixa da companhia foi de R$16,7 milhões.

No trimestre, a receita recorrente (de manutenção) da companhia cresceu 24,5% sobre o 1T12, atingindo R$ 56,4 milhões e representando 79% da receita operacional bruta (ROB).

Deste resultado, a Linx avalia o crescimento como reflexo do aumento das vendas junto à base de clientes e ao próprio crescimento orgânico destes atendidos, o que inclui a abertura de novas lojas, com a contratação de soluções para os novos PDVs, por exemplo.

As chamadas “ofertas cross”, complementares aos softwares de POS e ERP fornecidos pela empresa, também são destacadas no balanço como responsáveis pela expansão da Linx no 1T13.

Outra razão de crescimento, segundo divulgação oficial, é a aquisição da Compacta, ocorrida em agosto de 2012 e que possibilitou a entrada da Linx em sistemas para food services.

A Linx abriu capital na Bovespa em fevereiro deste ano e com isso tornou-se a primeira empresa a fazer IPO (sigla em inglês para oferta pública inicial de ações) em 2013.

Com market share de 29% no setor de software para varejo no país, a companhia baseia sua estratégia em crescimento inorgânico para ampliação de portfólio.

Basta ver que a Compacta foi a décima compra realizada pela Linx nos últimos quatro anos, mas não foi a última: depois dela, vieram a gaúcha Direção, por R$ 26,5 milhões, e ativos da Seller Corp, que tem sedes em Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, por R$ 10,1 milhões, ambas em março passado.

Já antes da Compacta, a lista de aquisições da Linx, que começou a ser composta em 2008, traz: Quadrant, CSI Inter Commerce, Formata, Dia System, CNP, Microvix, General Atlantic, Spress e CustomBS.

Com isso, o portfólio hoje abrange soluções pra magazines, supermercados, farmácias, lojas de departamentos, setor alimentício, entre outras verticais.

Há pouco, a companhia ampliou ainda mais a oferta ao lançar uma ferramenta de RFID, atendendo a um projeto para a Memove, marca da Valdac Global Brands (VGB), que é cliente da Linx há 11 anos.

Com mais de 7,5 mil clientes no Brasil, América Latina e Europa, a Linx soma 60 mil PDVs instalados com suas soluções.

A companhia emprega mais de 1,8 mil colaboradores na matriz e filiais, e atua por meio de três unidades de negócio: Linx Sistemas, Linx Telecom e Linx Logística.