Luciano Ignaczak.

Tamanho da fonte: -A+A

A iCybersec, uma startup de segurança sediada em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, é a única brasileira entre os 12 projeto selecionados pelo Cybersecurity Innovation Fund, uma iniciativa da Organização dos Estados Americanos (OEA), Cisco e Citi Foundation.

Ao todo, se inscreveram 117 projetos na América Latina. Os selecionados, escolhidos por critérios de impacto, empregabilidade e trajetória da equipe fundadora, participam de um programa de oito meses e recebem um aporte de valor não revelado.

O projeto apresentado pela iCybersec está alinhado com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), aprovada no ano passado e que começa a vigorar em agosto.

A ferramenta criada pela startup analisa o conteúdo de documentos eletrônicos e os classifica, de acordo com os parâmetros de confidencialidade estabelecidos pela empresa. 

“Estamos investindo na área certa, que é a aplicação da inteligência artificial dentro de produtos de segurança e defesa cibernética”, destaca o diretor executivo da iCybersec, Luciano Ignaczak.

Ignaczak é professor da Unisinos, onde faz doutorado no programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada, pesquisando o uso de inteligência artificial para análise de textos de informações não estruturadas na área de segurança cibernética. 

Ele e o sócio, o também professor Márcio Garcia Martins, instalaram a iCybersec na incubadora de empresas do parque tecnológico da universidade em janeiro.

“O projeto que incubamos na Unitec está alinhado com a tese que estou desenvolvendo no doutorado. Está totalmente integrado com o movimento de transformar o projeto de pesquisa em um negócio”, afirma Ignaczak.