Steve Woziak realizou uma palestra em Porto Alegre na última semana. Foto: Bruno Todeschini/PUCRS.

Steve Woziak, co-fundador da Apple, espera que a empresa trabalhe para expandir a capacidade da assistente pessoal Siri. Para ele, a ferramenta precisa ser capaz de controlar todas as ações do smartphone.

"Eu lembro que, desde o lançamento da Siri, eu falava com pessoas da empresa e em apresentações que a assistente deveria controlar todos os apps do aparelho. A Apple está fazendo isso somente agora, até certo ponto, com o Home Kit", declara Wozniak, que esteve em Porto Alegre na última semana para a palestra de lançamento do MBA em Gestão, Empreendedorismo e Marketing da PUC-RS, do qual é professor convidado.

O Home Kit é um conjunto de acessórios residenciais que podem ser utilizados de forma conectada aos dispositivos da Apple. Produtos como ventiladores, lâmpadas e reguladores de temperatura são fabricados por parceiras da Apple.

Para Wozniak, o conceito de plataforma é uma das marcas da empresa e deve ser expandido para a Siri. Hoje, ele já vê a ideia sendo aplicada com sucesso no equipamento Amazon Echo, que apresentou a assistente Alexa.

"O Amazon Echo, assim como o iPhone com a sua app store, é uma plataforma. Hoje, você pode conectá-lo com milhares de ferramentas chamadas pela Amazon de Skills, aplicativos que possui no telefone, operá-los com sua voz", discorre o executivo.

O aparelho da Amazon foi muito elogiado por Woz durante sua palestra em Porto Alegre.

"Quando eu instalei a Amazon Echo, percebi que o aparelho tinha sete microfones. Você coloca ela em uma sala e ela pode ouvir e entender você de qualquer lugar. Então, é possível perguntar sobre o clima, pedir que a Alexa leia livros. Eu, todas as noites, peço para a assistente dar play em uma música antes de ir dormir", relata Wozniak.

O co-fundador da Apple destaca que um dos benefícios da Alexa é a possibilidade de fazer tudo a distância.

"Eu acho que Alexa é muito legal porque você não precisa segurar um telefone na frente do seu rosto, o que também é bom com Apple Watch, com o qual eu consigo realizar muitas ações por comando de voz sem ter o telefone na mão", afirma.

Wozniak considera que, com a Siri, a primeira coisa que o usuário deveria poder fazer é falar o nome de um aplicativo e, depois disso, utilizar palavras que essa ferramenta possa entender.

Além do maior controle do aparelho, outro fator esperado por Woz em relação à Siri e outras assistentes pessoais - como Alexa, Cortana e Google Assistant, é a melhora na compreensão da linguagem natural e do entendimento de diferentes sotaques.

"Até mesmo alguns americanos dos estados do Sul tem dificuldade em se comunicar com as ferramentas. Outro ponto é que, às vezes, Siri ou Google podem registrar as palavras certas, mas não entendem o significado delas. Hoje, há certos tipos de perguntas que eu sei que a Siri entende melhor, mas e outros tipos em que o Google está melhor", diz.

Durante o evento na PUC-RS, Wozniak também abordou assuntos que foram desde a criação da Apple, sua relação com Steve Jobs ao longo do tempo, e o que espera de novas tecnologias como realidade aumentada e realidade virtual.

O executivo ainda aproveitou o evento para esclarecer uma citação sua que acabou sendo muito explorada nos últimos meses, mas que, segundo ele, muitas vezes foi tirada de contexto. Em abril, Woz declarou que a Apple estaria "se tornado uma Microsoft".

De acordo com Wozniak, o assunto que rendeu a frase foi de veículos sem condutor. Os rumores de que a Apple estaria trabalhando apenas no software para veículos auto-dirigíveis, mas não no hardware, fizeram o co-fundador da empresa lembrar do modelo da companhia de Bill Gates, que desde sempre licencia o Windows para diferentes fabricantes.

"Uma grande empresa como a Apple tem que estar envolvida em uma nova tendência de tecnologia que vai ser enorme, como a auto-condução. No entanto, eu sempre penso na Apple como uma empresa que trabalha em hardwares e softwares que se integram", relata Woz.

Para o executivo, sistemas de carros conectados hoje deixam a desejar por serem uma extensão limitada dos smartphones no painel do carro e omitirem recursos do próprio veículo durante seu uso. Em sua experiência pessoal, ele precisa desconectar o aparelho do carro para acompanhar canais de satélite ou de rádio.

"É muito melhor ter o produto inteiro construído como um. Nesse caso, a Apple, de acordo com rumores, não vai fazer o hardware, só trabalhar no software de auto-condução. Assim, é melhor que esse seja o melhor software do segmento no mundo, porque eu queria que eles estivessem construindo toda a unidade", reforça.

Wozniak, em 1976, fundou a Apple Computer Inc com Steve Jobs, lançado o computador pessoal Apple I. 

Ele deixou a companhia 9 anos depois e esteve envolvido em vários empreendimentos comerciais e filantrópicos, focando principalmente na introdução de informática nas escolas e enfatizando a aprendizagem prática. Woz é atualmente cientista chefe da Primary Data.

Em 2014, Wozniak tornou-se professor adjunto na Faculdade de Engenharia e Tecnologia da Informação da Universidade de Tecnologia de Sydney, na Austrália.