Montadora adquiriu 17 impressoras 3D FDM. Foto: Business Wire/divulgação.

A General Motors (GM) adquiriu 17 impressoras 3D FDM, da Stratasys, fabricante americana voltada para a manufatura aditiva industrial, para produzir ferramentas e equipamentos de segurança.

Segundo a companhia, um grande teste foi realizado em abril deste ano, quando a montadora fechou um contrato com o departamento de saúde dos Estados Unidos para produzir, junto à Ventec Life Systems, 30 mil unidades de ventiladores para UTIs até o fim de agosto.

Na ocasião, a empresa realizou a engenharia reversa em peças de reposição de um ventilador original e começou a imprimi-las em 3D no dia seguinte, usando soluções de manufatura aditiva da Stratasys. 

As ferramentas utilizadas na produção dos ventiladores também foram impressas em 3D. 

A GM já utilizava a impressão 3D para prototipagem desde 1989 e a tecnologia estaria agora se tornando ainda mais difundida na empresa, com ampliação de investimentos nos últimos dois anos.

Hoje a empresa possui impressoras instaladas em suas unidades de produção em todo o mundo e, recentemente, usou a tecnologia para produzir 75% das peças do protótipo do Chevrolet Corvette 2020.

"Já temos mais de 700 funcionários treinados para usar a tecnologia. A manufatura aditiva está contribuindo, constantemente, para sermos mais rápidos e eficientes no desenvolvimento de produtos e protótipos, de ferramentas e equipamentos de segurança”, conta Ron Daul, diretor de manufatura aditiva da GM.

De acordo com a Stratasys, a tecnologia pode ser usada para imprimir peças de reposição em 3D, produzir peças de uso final mais próximas da montagem, ajudar a reposição de ferramentas nas linhas de fabricação mais rapidamente e agilizar o desenvolvimento de novos e melhores protótipos.

Peças pesadas, que antes exigiam uso de metal, podem ser impressas utilizando materiais como o Nylon12 Carbo n Fiber, por exemplo, composto que contém 35% de fibra de carbono em peso e que se traduz em uma relação resistência/peso muito alta, mesmo em locais sujeitos a fortes vibrações.

Para a Stratasys, a GM é um modelo claro do futuro da manufatura aditiva na indústria automotiva.

"A GM vem realizando investimentos inteligentes em impressão 3D para obter sucesso neste novo normal de incertezas e disrupção. Como resultado, passa a contar com linhas de fabricação mais adaptáveis e menos caras, e pode desenvolver mais rapidamente produtos melhores", afirma Rich Garrity, presidente da Stratasys Americas.

Um estudo da SME Media revelou que 25% dos profissionais de manufatura nos Estados Unidos planejavam mudar suas cadeias de suprimentos em função da pandemia e que a impressão 3D (com robótica) era a melhor escolha entre 11 tecnologias para se investir após a Covid-19.

Atuando há mais de 100 anos, a GM tem sede em Detroit, nos Estados Unidos, e conta com mais de 180 mil funcionários em seis continentes. A empresa detém as marcas Chevrolet, Buick, GMC, Cadillac, Holden, Baojun e Wuling.

Com 30 anos de atuação, a Stratasys é fabricante das impressoras 3D FDM e PolyJet. Além da GM, tem clientes como Volvo, Ford, Honda, Airbus, Siemens, Lockheed Martin e Audi.