50% dos brasileiros já trabalharam de casa. Foto: flickr.com/photos/almostlucid

Uma pesquisa divulgada pela Regus revelou que para 50% dos trabalhadores brasileiros, trabalhar remotamente já é uma realidade.

Metade dos profissionais já adotou algum tipo de trabalho remoto graças ao uso de tecnologias como notebooks, celulares, computação em nuvem e redes sem fio.

Cerca de 16 mil profissionais em mais de 80 países participaram da pesquisa. Grande parte deles estão optando por trabalhar fora da empresa durante metade da semana ou mais, diminuindo o tempo  gasto em trânsito.

Benefícios como o equilíbrio entre vida pessoal e profissional estão fazendo com que mais empresas permitam práticas de trabalho flexíveis a seus colaboradores, revela o estudo.

Os profissionais brasileiros entrevistados pela Regus disseram que, se pudessem economizar o tempo que levam de casa até o trabalho, dedicariam mais tempo à família (87%), à prática de exercícios físicos (85%) ou em qualificação profissional (79%).

"Embora muitos profissionais tenham a possibilidade de escolher diferentes locais de trabalho, ainda há espaço para que mais pessoas sejam beneficiadas pela adoção de práticas flexíveis no dia a dia”, defende Guilherme Ribeiro, diretor geral da Regus no Brasil.

“Todos são beneficiados quando o tempo gasto para chegar ao trabalho diminui", completa.

DESLOCAMENTO

No estudo da Regus, os profissionais apontaram os motivos que causam mais estresse durante o deslocamento diário até o escritório e que afetam a produtividade e satisfação com o trabalho.

No topo dessa lista figura a “condução indevida e perigosa”. “Agressividade no trânsito”, “o uso indevido do celular” e “a falta de informação sobre o trajeto de viagem” também aparecem entre os principais fatores.

A pesquisa confirma que 48% dos funcionários no mundo trabalhariam com mais empenho se pudessem reduzir o tempo de deslocamento para chegar ao trabalho, o que também traria benefícios para empresa.

O tempo médio do trajeto casa/trabalho em um único sentido é de 29 minutos, mas 23% dos trabalhadores demoram 45 minutos em cada sentido.

Ainda assim, o tempo gasto é considerado menos problemático do que as experiências vividas no percurso.

No Brasil, segundo pesquisa anterior da Regus, 59% das empresas buscam alternativas para diminuir o tempo gasto pelos funcionários durante deslocamentos diários.