maxiPago! é um gateway de pagamentos. Foto: Andrey_Popov/Shutterstock.com

A Rede, empresa de processamento de cartões do conglomerado Itaú Unibanco, adquiriu a maxiPago!, gateway brasileiro de pagamentos com foco na América Latina. 

O negócio faz parte do plano da empresa de crescer no segmento de pagamentos eletrônicos.

Acompanhando o movimento de alta do comércio eletrônico, a Rede afirma que focará sua atuação em experiências de pagamento que proporcionem mais conveniência e segurança para quem faz compras pela internet. 

“Assim, acreditamos que o benefício para os vendedores virá na forma de uma maior conversão no checkout e fidelização de clientes”, completa Milton Maluhy Filho, presidente da Rede e diretor executivo da área de cartões do Itaú Unibanco.

Outra oportunidade que vem com a aquisição da maxiPago! é ‎a evolução de soluções de pagamento para dispositivos móveis. 

A solução de pagamento eletrônico da Rede com a maxiPago! conta com gateway, antifraude, adquirência e conciliação financeira.

“Em uma única plataforma, o cliente tem o acesso a todos os meios de pagamento, tanto de cartões nacionais e internacionais em crédito e débito, quanto boletos bancários e e-wallet”, acrescenta Svante Westerberg, CEO da maxiPago!.

A maxiPago! foi fundade em 2011. A empresa opera com capacidade para realizar até 4 mil transações por segundo e atua no Brasil, México, Chile, na Argentina e Colômbia.

O lucro líquido da Rede alcançou R$ 1,8 bilhão em 2013. 

A companhia tem a segunda maior fatia do mercado de pagamentos no Brasil, ficando com 37,7% no primeiro trimeste.

A Cielo lidera, com 55,2% de participação no mercado brasileiro. O Santander, que gastou R$ 1 bilhão para adquirir a processadora gaúcha GetNet, é a terceira, com 5,7%, seguida pela Vero, serviço de processamento do Banrisul, com 1,4%.

O caminho dos pagamentos eletrônicos também está sendo trilhado pela Cielo.

Em 2011, a companhia adquiriu dois gateways de pagamento: Braspag e BoldCron.

A aquisição da Braspag, que na época tinha 65% de market share no setor de gateways ,foi fechada em R$ 40 milhões. 

Em 2012, a Cielo comprou a americana Merchant e-Solutions por US$ 670 milhões. A MeS possui soluções para adquirência tradicional, e-commerce e pagamentos móveis. 

A Cielo movimentou, em 2013, R$ 448,8 bilhões, alta de 17,1%, gerando um lucro de R$ 2,7 bilhões, alta de 14,9%.

O Bradesco e o Banco do Brasil detêm, cada um, 28,6% do capital social da Cielo. 

Juntos, também lançaram recentemente a Stelo, uma empresa de solução de meios de pagamentos digitais que pertence a Cia Brasileira de Soluções e Serviços (CBSS), controlada pelos dois bancos.