Patrícia Fernandes. Foto: divulgação.

Conhecida por suas soluções de TI para grandes cadeias do segmento varejista, a Tlantic está remodelando seu modelo de negócios para contemplar o potencial das empresas de pequeno e médio porte.

Com sede em Porto Alegre, no Tecnopuc, 120 funcionários e presença em quatro países, a empresa iniciou esta investida em 2014 e fechou seus primeiros clientes de menor porte em 2015.

De acordo com a desenvolvedora, atualmente três implementações estão em andamento, as três no varejo supermercadista: a rede Monte Serrat, em São Paulo, e as paranaenses Telêmaco Borba e Tissi.

O primeiro case da Tlantic com PMEs foi com a rede Monte Serrat, que tem três lojas em Itupeva, interior de São Paulo. Com 32 pontos de venda em três supermercados e 305 funcionários, a empresa adotou o Mobile Retail Suite (MRS) In Store no formato SaaS.

O projeto foi iniciado em maio deste ano e concluído em junho, com foco nas áreas de remarcação e auditoria de preços, assim como controle de ruptura na reposição de produtos nas gôndolas.

Segundo Edevaldo Rotondo, diretor da rede supermercadista, a solução da Tlantic reduziu a zero a incidência de erros entre os preços na gôndola e o momento do checkout.

Conforme explica a diretora executiva da Tlantic para a América Latina, Patricia Fernandes, o plano é escalar o número de projetos a partir dos próximos meses, a partir de ofertas baseadas em software como serviço.

"Retrabalhamos diversos módulos de nosso portfólio para ajustá-las aos clientes de pequeno e médio porte que demonstraram interesse em adotar nossos produtos para otimizar suas operações no back office, como mobilidade, estoque e controle de reposição de estoque", explicou Fernandes.

Além disso, a companhia está em busca de parceiros desenvolvedores de ERP para PMEs de varejo para otimizar as integrações de seu software, segundo aponta a diretora executiva.

"Nosso objetivo é entregar soluções completas e acessíveis para estes clientes, com tempo reduzido de implementação e baixo custo. A mensalidade de nossa solução equivale ao salário de um funcionário", compara Fernandes.

Embora o número de contratos de PMEs ainda seja pequeno e pouco significativo frente aos grandes contratos que a Tlantic tem - Lojas Renner, Marisa, Pão de Açúcar, entre outros - a empresa tem grandes expectativas.

Fernandes estima que, nos próximos dois a três anos, os clientes de menor porte cheguem a representar um crescimento de 20% a 30% no faturamento da companhia, que em 2014 foi de R$ 25 milhões.

O namoro da companhia com este segmento também se reflete em outras ações: nos próximos meses a empresa levará uma comitiva de 20 varejistas de todo o país para mostrar o trabalho de inovação desenvolvido em Portugal com a Sonae, multinacional que fundou a Tlantic. Deste grupo, 13 são empresas de pequeno e médio porte.

A Tlantic nasceu de uma spin off da Sonae Brasil, em 2004, já pré-designada para exportar software para o grupo varejista na Europa. Hoje a empresa tem sede no Tecnopuc, em Porto Alegre, e escritórios em São Paulo, Espanha, Inglaterra e Portugal, exportando para países como o África do Sul, Itália, Arábia Saudita, entre outros.