Costa Rica é um país tropical. Foto: Pixabay.

A HPE acaba de fazer um investimento de US$ 11 milhões na Costa Rica, onde a empresa deve fazer 120 contratações de profissionais de TI, subindo a contagem de pessoal no país para 1,085 pessoas.

As informações são da CINDE, agência de promoção de investimentos do país. Os contratados vão trabalhar com desenvolvimento e suporte para as operações globais da HPE.

De acordo com o site Nearshore Americas, que cobre especificamente esse mercado, a HPE tem centros de serviços globais na América Latina apenas na Costa Rica e na Colômbia, apesar de ter operações também na Argentina, Chile, México e Brasil.

Em 2003, a HP se tornou uma das primeiras âncoras do recém-fundado Tecnopuc, parque tecnológico criado pela PUC-RS na área de um antigo quartel em Porto Alegre. 

O histórico de pesquisa da HP no país começa ainda em 1999, quando foi feita a joint venture com a Edisa, uma empresa gaúcha então atuante nos mercados de PCs e ATMs. 

Mas o número de funcionários não passa perto do que é a operação de Costa Rica, país no qual a HPE é um dos maiores empregadores na área de TI.

A empresa não abre números exatos de funcionários (vale notar que isso foi feito na Costa Rica por um órgão de governo indiscreto), mas eles provavelmente não chegam a metade da Costa Rica.

De acordo com o ranking do Fórum Econômico Mundial, Costa Rica tem a segunda economia mais competitiva da América Latina, atrás somente do Chile.

Na área de TI, o país começou a aparecer em 1997, quando a Intel montou uma fábrica de chips que chegou a responder por 20% das exportações e 4,9% do PIB do país em 2009.

A fábrica fechou em 2014, mas a Intel manteve no país um centro de pesquisa e desenvolvimento com 2 mil funcionários em um país que não chega a 5 milhões de habitantes.

Além da Intel, também estão no presentes no país a IBM, Oracle e Cisco, entre outras.