DADOS

ABC Brasil: LGPD com OneTrust

10/09/2021 04:30

Projeto no banco foi realizado em seis meses com consultoria da Compugraf.

Sede do ABC. Bonitos sofás. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O ABC Brasil, banco especializado em empresas de médio a grande porte, adotou a plataforma de gestão de privacidade OneTrust para se adequar aos requerimentos da LGPD, em um projeto com consultoria da Compugraf.

A implantação foi feita em seis meses, com módulos atendendo gerenciamento de dados pessoais e  tratamento dos direitos dos titulares, ao longo do processo de atendimento. Também foi disponibilizado um canal digital para os clientes e titulares de dados.

“Privacidade se tornou processo e política interna para seguir todas as boas práticas, garantindo governança e privacidade dos dados. Este fluxo é super importante para inovação e transformação digital de qualquer empresa”, afirma o especialista em dados do Banco ABC, Rafael Novischi Kataoka.

A OneTrust é uma multinacional americana com 10 mil clientes dos seus produtos de segurança, governança de dados, GRC e risco.

A empresa foi apontada pela IDC como líder no segmento no relatório Data Privacy Management Software Market em 2020, mesmo ano em que abriu escritório no Brasil, e já captou quase US$ 1 bilhão de investidores desde a fundação, em 2016.

A Compugraf é especializada no setor de segurança, sendo parceira de players como Fortinet, OneTrust, F5, Check Point, Guardicore, CyberArk, Algosec, Senha Segura, entre outros. A empresa tem 100 colaboradores e 300 clientes ativos.

O ABC Brasil, tem cerca de 1 mil funcionários sediado em São Paulo que vem fazendo movimentos para diversificar sua atuação, atingindo inclusive o público pessoa física.

Segundo uma matéria recente do Valor Econômico, o ABC Brasil tem uma carteira de 2,788 clientes e nos últimos dois anos, apostou por clientes de porte médio, com faturamentos entre R$ 30 milhões e R$ 300 milhões.

Eles já são 1 mil no total, e representam 6,3% da carteira total do ABC, hoje na casa dos R$ 35,5 bilhões.

O banco deve receber em breve uma autorização para abrir uma corretora de seguros e está em fase piloto para a concessão de crédito consignado privado, visando os empregados das empresas que atende, revela o Valor.

Recentemente, o ABC contratou Rodrigo Ribeiro, ex-diretor de TI da Arezzo, para assumir o mesmo cargo na instituição financeira.

Ribeiro já tem um background importante no setor financeiro, tendo sido head de desenvolvimento de aplicações no banco digital gaúcho Agibank, e gerente de desenvolvimento de sistemas no Itaú.

A LGPD foi aprovada em 2018 e as punições entraram em vigor em agosto. Estão previstas  multas de até 2% do faturamento bruto anual, podendo chegar a um máximo de R$ 50 milhões.

O setor financeiro é um dos principais afetados, o que não quer dizer que a maioria das empresas da área esteja em compliance com a nova lei.

Segundo levantamento da consultoria ICTS Protiviti, 31,8% do setor financeiro está pronto para as exigências da lei. Pode parecer pouco, mas a média do mercado como um todo é de apenas 15,2%.

Veja também

DADOS
Igrejas fora da LGPD?

Projeto de lei coloca “entidades filantrópicas” fora da nova lei de privacidade de dados.

REGRAS
ANPD facilita LGPD para pequenos

Lei de privacidade de dados deve ter versão mais light para startups.

UNFOLLOW
Advogados querem ficar de fora da LGPD

Para a OAB-AM, categoria tem que decidir sobre dados dos clientes.

VAGA
Brasscom ganha corrida pelo CNPD

Entidade de TI superou candidatura da Assespro e dos meios de comunicação.

DADOS
Almaviva agora tem DPO

Roberto Toscani já era superintendente de segurança da informação e privacidade da companhia.

LGPD
Logicalis vai vender Privacy Tools

Acordo com a integradora é um grande empurrão para a startup gaúcha.