Governador Beto Richa assina contrato com a Positivo. Foto: ANPR

A Positivo firmou contrato, vencido por licitação, com o governo do Paraná para fornecer 32 mil tablets da segunda geração Ypy da fabricante, com sistema operacional Android 4.0 e recursos de conexão WiFi.

Os aparelhos serão entregues aos 27 mil professores de ensino médio da rede pública do estado, sendo que cinco mil smartphones serão mantidos em estoque de reserva.

Os tablets têm telas de 7 e 10 polegadas, peso abaixo de 700 gramas, tela multitoque, câmera e microfone para trabalho multimídia, saída de vídeo, conteúdos pré-instalados, entre outras características.

O governo pagará R$ 276 pelo tablet de 7 polegadas e R$ 462 pelo de 10 polegadas.

De acordo com o governador Beto Richa, o projeto visa a entregar aos professores um equipamento que lhes permita preparar as aulas, acessar a internet e consultar conteúdos como revistas pedagógicas e 60 livros que já virão pré-instalados.

Os dispositivos serão comprados com recursos do Programa Nacional de Tecnologia Educacional (Proinfo), que prevê investimento de R$ 150 milhões para a distribuição de 900 mil tablets em todos os estados brasileiros, sendo cerca de R$ 9,5 milhões no Paraná.

A previsão é que os aparelhos sejam distribuídos até o início de janeiro.

As escolas estaduais também receberão 3,3 mil projetores multimídia para apoiar o trabalho dos professores.

“O programa está de acordo com o nosso compromisso de investir na qualidade do ensino no Paraná, assim como o reajuste dos salários dos professores, que nos últimos dois anos totaliza 34,85%”, afirma Richa.

O diretor geral da secretaria da Educação do Paraná, Jorge Eduardo Wekerlin, acrescenta que o governo estadual já apresentou à União um pedido para que sejam comprados tablets também para todos os alunos e professores do ensino fundamental.

Segundo ele, com o equipamento será possível, por exemplo, o professor registrar a presença dos alunos diretamente no sistema.

“É uma ferramenta completa que melhora a interação entre os professores e alunos”, finaliza ele.