Chefe de segurança do Android não teme as ameças de malware.Foto: Reprodução.

Apenas 0,001% dos aplicativos baixados possuem ameaças aos dispositivos e dados. A afirmação é do chefe de segurança do Android, Adrian Ludwing, feita durante a conferência Virus Bulletin, em Berlim.

Segundo matéria do site CRN, o dado inclui apps de lojas terceiras, não apenas os que estão disponíveis no Google Play.

Ludwig declarou que a política de que qualquer aplicativo pode ser instalado no Android é melhor que o modelo da Apple, em que todos devem ser aprovados antes de chegarem às lojas. 

Com isso, Ludwing fez uma comparação com o Centro para Proteção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC). “O CDC sabe que não é nada realista tentar erradicar todas as doenças. Em vez disso, ele monitora as doenças com rigor cientifico, fornecendo guias preventivos e respostas eficazes para ameaças danosas”.

O Google já incluiu scans automatizados de malwares em sua loja de aplicativos e construiu ferramentas de segurança para o sistema Android em sua essência. 

O Instituto de Tecnologia da Geórgia e a empresa de segurança Damballa divulgaram um estudo na segunda-feira, 07, que indica a existência de malwares móveis. Dessa forma, eles aparecem apenas em um número pequeno de aparelhos. 

Apenas 3.492 de mais de 380 milhões de dispositivos analisados mostravam sinais de infecção com malware mobile. Isso representa uma taxa ainda menor do que a exposta pelo Google de 0,0009%. Porém, a pesquisa do Google observou dispositivos de outros países, onde há mais contaminações por malware, além dos Estados Unidos.