Tecpar com novo campus na UEPG. Foto: divulgação.

O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) formalizou sua nova unidade de negócios. O Laboratório de Produção de Medicamentos ficará na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e será focado na produção de medicamentos sintéticos.

O instituto agora está instalando o novo campus, incorporando a estrutura e equipamentos do laboratório farmacêutico existente na UEPG e se preparando para iniciar duas linhas de produção de medicamentos, uma de sólidos e outra de semi-sólidos.

A diretoria pretende implantar no laboratório uma Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP), programa do Complexo Industrial da Saúde para produzir medicamentos e biológicos que atendam às demandas do Ministério da Saúde.

Para o diretor-presidente do Tecpar, Júlio Felix, o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores em Ponta Grossa vai possibilitar a transferência de tecnologia com futuros parceiros privados, gerando emprego e renda na região.

"Isso representa a transferência da tecnologia do Tecpar para a produção de medicamentos de alto custo, atendendo a demandas importantes da saúde pública", afirmou Felix.

Hoje o Tecpar tem dois campi em Curitiba, um na Cidade Industrial e outro no bairro Juvevê; um em Araucária, na região metropolitana de Curitiba; um em Jacarezinho, no Norte Pioneiro; e três em Maringá, com um deles em obras.

O Tecpar hoje já atua em três PDPs, para o desenvolvimento do Bevacizumabe, produto de última geração que combate o câncer e a degeneração macular relativa à idade, que será produzido em Maringá; a cola de fibrina, primeiro selante de fibrina obtido por rota biotecnológica, com produção 100% nacional e em desenvolvimento no campus CIC.

Outro projeto é o da Rede Cegonha, para a montagem de kits de medicamentos que tratam a mortalidade materna e neonatal.