Doug Davis, vice-presidente e gerente geral de Internet das Coisas da Intel. Foto: Divulgação.

A Intel anunciou na terça-feira, 9, o lançamento da IoT Platform, um modelo de referência end-to-end concebido para unificar e simplificar a conectividade e segurança para a Internet das Coisas (IoT). A Intel também introduziu produtos integrados de hardware e software com base na nova plataforma.

Segundo a empresa, a plataforma ajuda a fornecer inovações para mercado mais rapidamente, reduzindo a complexidade da solução, e entregando  inteligência mais com mais velocidade, oferecendo uma fundação sobre como os dispositivos serão conectados para fornecer dados confiáveis para a nuvem. 

"Com esta plataforma continuamos a expandir a nossa família de produtos IoT com melhorias para as nossas soluções pré-integradas que tornam a Internet das Coisas mais acessível aos fornecedores de soluções. Ess é um mercado em rápido crescimento, mas que enfrenta obstáculos de escalabilidade. Ao simplificar o processo de desenvolvimento, nós podemos ajudar a acelerar a inovação", disse Doug Davis, vice-presidente e gerente geral de Internet das Coisas da Intel.

A fabricante de semicondutores quer incorporar mais fabricantes de eletroeletrônicos à sua tecnologia para objetos conectados e aumentar as encomendas de chips que serão responsáveis por conectar diversos tipos de aparelho, como geladeiras e máquinas industriais, à internet.

A Intel está apostando em IoT, um mercado que, de acordo com projeção da IDC, deve atingir US$ 7,1 trilhões até 2020.

Em março, a empresa formou um consórcio junto com IBM, Cisco, AT&T e GE para derrubar barreiras e impulsionar o conceito de internet das coisas “entre todos os setores da indústria”, segundo dizia o documento de lançamento da iniciativa.  

Depois, em julho, Dell, Intel e Samsung revelaram uma aliança focada em automação residencial. Batizada de Open Interconnect Consortium, a iniciativa ambiciona definir standards para comunicação entre máquinas (M2M).